A aposta do Arsenal na análise de dados

A importância da análise de desempenho tornou-se uma ferramenta de muito valor no mundo do futebol. A cada dia, são milhares de profissionais que buscam capacitação e aproveitam o avanço da tecnologia para trazer novas experiências ao esporte.


Por meio da análise de dados de uma determinada partida ou jogador, é possível apontar os aspectos que devem ser melhorados e o que vem dado certo. Uma análise aprofundada dos pontos positivos e negativos. São estatísticas que valem ouro.


O mundo muda e o futebol também.


No Arsenal, essa tecnologia promete estar lado a lado com Unai Emery e seu staff nesta temporada.


O clube contratou Mikhail Zhilkin para ser o cientista de dados do time profissional. Extremamente capacitado e com experiência no mundo dos games, ele é formado pelo Instituto de Física e Tecnologia de Moscou e trabalhou, por cinco anos, na King.com, empresa desenvolvedora do famoso jogo Candy Crush.


Ele foi o responsável por liderar a parte técnica do funcionamento do jogo, além de ter sido o cientista de dados responsável pelas duas versões mais recentes do game: o Candy Crush Soda e o Candy Crush Jelly.


Este será o primeiro trabalho de Zhilkin com o futebol. Sua missão é aumentar o desempenho dos atletas e minimizar, ao máximo, o risco de lesões durante a temporada.


A ideia, segundo informado pelo site Training Ground Guru, é reunir insights individuais de cada jogador, para que o treinamento e a recuperação sejam feitos da forma mais personalizada possível. Lesões foram identificadas como um dos maiores problemas para os Gunners nas últimas temporadas.


Mikhail Zhilkin chega para integrar a equipe de Darren Burgess, diretor de alta performance do clube.


Getty Images
Getty Images

Unai Emery conversa com o seu corpo técnico durante treinamento em London Colney; da esquerda para à direita: Victor Manas, Steve Bould, Pablo Villanueva, Emery e Juan Carlos Carcedo


O staff de Unai Emery


Unai Emery tem um staff pronto e capacitado à sua disposição. Homens de sua confiança foram contratados. Entre eles, o analista de dados e vídeos Victor Manas, com quem trabalhou no Almería, Sevilla e Paris-Saint Germain.


Manas filma os jogos e as sessões de treinamento com tecnologia de última geração, fornece um feedback e as imagens ao técnico, que tem o trabalho de avaliar e repassar os devidos apontamentos aos atletas.


Além dele, Emery conta com Juan Carlos Carcedo, Pablo Villanueva e Steve Bould (auxiliares), Darren Burgess (diretor de alta performance), Julen Masach (treinador de força e condicionamento); e Javi Garcia e Sal Bibbo (treinadores de goleiros).


Nomes como Jens Lehmann, Tony Colbert, Boro Primorac, Neil Banfield, Gerry Peyton e Colin Lewin deixaram o Arsenal nas últimas semanas. Lewin, inclusive, estava no clube desde 1995 e sua demissão foi considerada parte de uma reestruturação feita por Darren Burgess.


Além deles, os fisioterapeutas Andy Rolls e Ben Ashworth, o osteopata Philippe Boixel e o gerente de viagens Paul Johnson também foram embora.


As saídas e chegadas fazem parte da inovação iniciada por Ivan Gazidis ainda na temporada passada, quando trouxe, além de Burgess, Sven Mislintat (chefe de recrutamento), Raul Sanllehi (diretor de futebol), Tom Allen (líder cientista esportivo), Huss Fahmy (especialista em contratos), Richard Allison (nutricionista) e Sal Bibbo.