Thomas desatola o Atlético de Madrid da lama dos empates

O meio-campista ganês Thomas Partey estreou com a camisa principal do Atlético de Madrid em novembro de 2015, em um duelo contra o Espanyol.


Pouquíssimo tempo depois, em janeiro de 2016, ele já havia caído nas graças do torcedor. Muito por causa de uma arrancada do meio-campo à época, já no apagar das luzes, que garantiu ao Atleti vitória apertada por 1 a 0 sobre o Levante, então no antigo estádio Vicente Calderón. Na época, o Atlético estava vivo na briga pelo título do Campeonato Espanhol e a euforia foi total. 


Depois disso, durante todo o ano de 2016 e a primeira metade de 2017, Thomas ficou praticamente esquecido. O encanto de seus três primeiros meses no time, quando saía do banco de reservas e agradava, não era mais fato novo. No entanto, de agosto pra cá, Partey recuperou o brilho de outrora.


Tudo começou na Data Fifa de setembro. Pela seleção de Gana, Partey marcou quatro gols em duas partidas contra Congo. Embora os ganeses não tenham conseguido a classificação para a Copa do Mundo de 2018, ele foi fundamental na reta final do qualificatório africano. E carregou seu bom momento na seleção para o Atlético de Madrid.


Nos 4 últimos jogos, em um pequeno espaço de 10 dias, Partey balançou as redes três vezes com a camisa do Atlético de Madrid. Talismã. Seu mais recente ato foi no último sábado, quando Thomas Partey revelou seu lado tão letal quanto decisivo. Aos 47 do segundo tempo, teve a frieza necessária para bater de chapa uma falta cobrada em dois lances. Uma tacada de sinuca que fará o goleiro Pantilimon passar a semana tendo pesadelos.


Thomas salvou o Atlético de Madrid de mais um tropeço no Estádio Riazor, casa do Deportivo La Coruña, de onde os colchoneros traziam o retrospecto de dois empates nas duas últimas temporadas.


Divulgação/Atlético de Madrid
Divulgação/Atlético de Madrid

Thomas Partey marcou o gol que manteve o Atlético de Madrid na quarta colocação da Liga das Estrelas


Além de desafogar a equipe na partida de sábado, Partey já havia marcado contra o Elche, no final de outubro, pela Copa do Rei, e salvado a derrota (que seria catástrófica) para o Qarabag, do Azerbaijão, pela UEFA Champions League, na última terça-feira. Em relação a este último tropeço, a situação do Atlético continua delicada de qualquer forma.


É incrível, mas o Atlético de Madrid continua invicto na Liga das Estrelas depois de 11 partidas disputadas. Incrível porque o time não consegue convencer nesta temporada. Mas o pior mesmo são os empates inúteis contra mais da metade dos adversários que enfrentou até aqui. 


Como efeito de comparação, nos primeiros 16 jogos que fez na temporada 2016-17, o Atlético de Madrid havia somado 10 vitórias, 3 empates e 3 derrotas. Nesta atual temporada, são 6 vitórias, 1 derrota e, acredite, 9 empates. Não é Atlético, é "Empatlético"!