Atlético de Madrid: o ano acabou e a invencibilidade também

De um lado do banco de reservas, estava Diego Simeone. De outro, Quique Sánchez Flores. Os dois únicos treinadores campeões com o Atlético de Madrid nesta década, frente a frente pela segunda vez no ano.


No entanto, a simbologia que tornava o embate especial para o torcedor colchonero perdeu todo seu efeito após o apito final. Isso porque justamente no último compromisso de 2017, o Atlético perdeu a invencibilidade no Campeonato Espanhol, após 17 rodadas.


Um jogo pra lá de modorrento. O Espanyol pouco produziu, mas o Atleti não pode se queixar de falta de sorte, pois esteve apático do primeiro ao último minuto do confronto, com atuações individuais pouco inspiradas de suas principais peças. Certamente, uma das exibições mais fracas do ano.


Divulgação/Atlético de Madrid
Divulgação/Atlético de Madrid

Cara a cara com o goleiro do Espanyol, Kevin Gameiro perdeu a chance mais clara do Atlético de Madrid na partida


Bem, acabou! Dentro das quatro linhas, 2017 finalmente chegou ao fim para o Atlético de Madrid. Pelo menos oficialmente, já que os colchoneros ainda têm compromisso marcado para o próximo dia 30 de dezembro, no Egito, amistoso contra o Al Ahly, pelo Jogo da Paz.


Passando a régua. O Atlético de Madrid disputou 59 jogos em 2017, com 32 vitórias, 20 empates e 7 derrotas. Poucos resultados negativos, como de praxe, mas a maioria deles deixam sabor amargo na boca até hoje. O pior deles, sem dúvida, os impiedosos 3 a 0 sofridos no Santiago Bernabéu, em maio, pela UEFA Champions League, placar que praticamente selou a quarta eliminação consecutiva do Atlético de Madrid para seu maior rival, Real Madrid, na principal competição do continente. 


Duas derrotas por 2 a 1 para o Barcelona, uma pela Copa do Rei e outra pela Liga das Estrelas, ambas no estádio Vicente Calderón, no primeiro semestre, também figuram na lista de principais decepções do ano. Por fim, a mais recente frustração, derrota para o Chelsea na primeira partida como mandante no novíssimo estádio Wanda Metropolitano pela UEFA Champions League, prenúncio de uma tragédia anunciada na fase de grupos da competição. 


Não restam dúvidas de que os momentos dolorosos sobrepõem-se, uma vez que foram pouquíssimos os resultados efetivamente expressivos do Atlético de Madrid neste ano. De qualquer forma, 2017 está na história, pois sempre será lembrado como o ano de despedida do estádio Vicente Calderón, casa do Atlético de Madrid durante as útimas cinco décadas. 


Junto ao ano que se encerra, também termina a punição da FIFA ao Atlético de Madrid. Foi um suplício ficar duas janelas de transferência sem poder reforçar o elenco. Enfim, Diego Costa e Vitolo estarão livres para atuar a partir do primeiro compromisso de 2018, o que suscitará ainda mais especulações e polêmicas em torno de uma possível saída de Antoine Griezmann. Barcelona? Manchester United?


O torcedor do Atlético de Madrid passará a ceia de Natal e o Ano Novo com muitas incertezas na cabeça. Antoine Griezmann fica ou vai embora? 


Divulgação/Atlético de Madrid
Divulgação/Atlético de Madrid

Antoine Griezmann teve atuação apagada nesta sexta-feira, contra o Espanyol