A casa é do Atlético de Madrid, mas quem faz festa é o Barcelona

Getty Images
Getty Images

Normalmente, a bola de futebol é sinônimo de gols, mas no duelo entre Atlético de Madrid e Betis, pela 34a. rodada do Campeonato Espanhol, a bola foi sinônimo de zero no placar




A matemática ainda mantém a esperança, mas qualquer torcedor do Atlético de Madrid já sabe que o sonho do título da Liga das Estrelas acabou de vez. Neste domingo, o empate sem gols com o Betis reduziu as chances de troféu praticamente a zero. Não há mais santo nem oração que salve!


Para ser campeão, o Atlético de Madrid precisa vencer todos as quatro partidas que lhe restam e torcer para o Barcelona, com um jogo a menos, perder todos os seus compromissos. A tabela aponta diferença de 11 pontos entre as duas equipes, mas os culés levariam vantagem no confronto direto em um eventual empate por pontos ao final do torneio.


Se na noite do sábado o estádio Wanda Metropolitano sediou a quarta conquista consecutiva de Copa do Rei do Barcelona, na noite deste domingo foi palco do virtual título espanhol do Barça. Os catalães já haviam conquistado o último título da história do velho estádio Vicente Calderón e agora festejam o primeiro título do novo Metropolitano. Triste realidade!


Parece ser uma espécie de vingança do destino depois que o Atlético faturou a Liga das Estrelas em pleno Camp Nou, na última rodada, em 2014. 


Na temporada que vem, já é certo que a final da UEFA Champions League será sediada no estádio Wanda Metropolitano. Estará lá o Barcelona novamente como penetra da festa em nossa casa?


Getty Images
Getty Images

Na primeira decisão de sua história, o estádio Wanda Metropolitano foi tomado por torcedores de Barcelona e Sevilla, mas quem fez a festa foi o torcedor catalão


MÊS DE FUTEBOL POBRE


Incrível como o futebol do Atlético de Madrid caiu de produção em abril. A equipe de Simeone iniciou o mês com uma vitória pragmática sobre o frágil Deportivo La Coruña, na qual o lance mais reperticudo da partida foi uma arrancada sensacional do zagueiro Lucas Hernández, que culminou no desarme do atacante Borja Valle. Frente a frente com o goleiro Jan Oblak, o jogador do Depor fatalmente marcaria o gol de empate do duelo. Aquele foi um prenúncio do que estava por vir. 


Dias depois, veio o triunfo por 2 a 0 sobre o Sporting, pelo primeiro jogo do confronto das quartas da Liga Europa, mas novamente o sentimento de alívio, já que os portugueses tiveram pelo menos duas chances claras de descontar o marcador e levar um resultado bem mais acessível para Lisboa.


Mesmo após um dérbi sem traumas contra o Real Madrid, o Atlético desandou: perdeu para o Sporting por 1 a 0, sofreu derrota acachapante por 3 a 0 para a Real Sociedad e hoje não passou de um insosso empate dentro de casa com o Betis. Apenas uma vitória contra o fraco time do Levante nos últimos cinco jogos. 


Resumo da ópera. A série recente de jogos não empolga nenhum pouco o torcedor e pode ser fator negativo determinante para o pesado duelo contra o Arsenal, que começa na próxima quinta-feira, primeiro jogo em Londres.


Do lado colchonero, a confiança não está tão plena como em outros momentos da temporada. Os jogadores dos Gunners, por sua vez, certamente carregarão um misto de emoção e débito com Arséne Wenger, após o comunicado da saída do treinador ao final da temporada. Prepare-se! Vêm aí dois grandes confrontos!