Bérgson: um novo artilheiro para o Furacão

Bérgson chegou. E em uma negociação relativamente rápida. Fato curioso principalmente por envolver um jogador que há semanas vem protagonizando novelas em vários cantos do Brasil e teve até uma pontinha no exterior. Quando o Atlético-PR entrou na jogada, levou, o que é bem interessante de ser analisado.


Ressalta-se ainda que, de acordo com o empresário do jogador, foram dezoito propostas pelo atacante e a do Furacão não foi a melhor financeiramente. Dito isso, devemos nos orgulhar da dimensão do projeto e da estrutura atrativa que nos fez vencer uma batalha acirrada. E, pelo fato de não ter sido a maior proposta pelo jogador, temos a noção de que nenhuma loucura financeira foi feita. 


Quem acompanha o Atlético-PR sabe que a ideia de organização, vendida ao mercado, é bem falha, e que o clube tem diversos problemas administrativos. Entretanto, ao trazermos um nome de desejo de mercado na "lábia", é notável que temos um potencial de crescimento que precisamos aproveitar, sem deixar o prestígio cair. 


Gazeta Press
Gazeta Press

Bérgson ganhou idolatria em sua passagem pelo Paysandu


Sobre Bérgson: sua carreira não é deslumbrante, tendo se destacado mesmo pelos 28 gols em 47 jogos na última temporada pela Paysandu. Antes disso, não teve notoriedade. Ou seja: ao contrário do que foi feito na última temporada, com muitos medalhões chegando para recuperar o moral por aqui (deu certo com Jonathan e muito errado com Carlos Alberto e Grafite), contratamos um atleta em seu auge. 


Quanto a estilo, temos aqui um finalizador nato, que não titubeia ao receber a bola, tentando levar perigo constante. Nesse sentido, somou muitos gols em jogadas de "poucos toques", dentro e fora da área. Há tempos não tínhamos alguém com esse estilo, com Éderson, em sua passagem anterior, sendo o último. Entretanto, Bérgson tem uma tendência maior a sair da zona de conforto, a driblar e ajudar o time, enquanto o artilheiro do Brasileiro de 2013 tinha uma equipe que aprendeu a jogar para ele, sem um repertório técnico muito alto. O que ficou provado com seu retorno, quando pouco contribuiu. 


Aos 26 anos, Bérgson se mostra compromissado a ter uma participação de muito destaque no Atlético-PR, visto sua empolgação com o projeto e a acertividade de sua escolha. Recebemos um atacante preparado, de bom repertório e no auge, que terá por aqui a chance de se firmar nacionalmente.