Atlético-PR é a grande chance de Fernando Diniz

Agora, sem medo: Fernando Diniz comandará o Furacão em 2018. A dúvida, a princípio, diz respeito a qual será exatamente sua função no clube: ele foi anunciado como "treinador" e "coordenador técnico geral", e o questionamento é se ele terá as mesmas liberdades que Seedorf teria como "manager". O Atlétivo-PR é uma confusão de termos. Mas a questão deve ser levantada em breve no clube, esperamos. 


Enfim: mineiro de 43 anos, Diniz não tem um currículo invejável em termos de clubes treinados nem de resultados. Com exceção de uma campanha de destaque no Audax, quando elevou o patamar da agremiação e conseguiu inclusive chegar a uma final de Paulistão, o técnico rondou por alguns clubes sem conseguir afirmação ou o brilho esperado.


Seu destaque, é claro, está no estilo de jogo. Diniz ganhou notoriedade nacional pelo "tiki taka à paulista", moldando suas equipes no estilo do toque de bola. Nesse sentido, é curioso contar com essa figura por aqui, uma vez que essa será a primeira vez que ele terá um clube de Série A e um elenco de qualidade. Seguindo a linha das apostas recentes do Furacão, essa estava no topo da lista das que poderiam ser interessantes. 


Gazeta Press
Gazeta Press

Fernando Diniz teve notoriedade nacional pelo seu estilo de jogo. Porém, ainda não emplacou um grande trabalho


Preocupa, no entanto, sua obsessão e seu temperamento. Já foi possível flagrar Diniz tendo reações desproporcionais ao ver jogadores dando chutões ou não cumprindo à risca o combinado no vestiário, como se futebol fosse ciência exata.


Primeiro: um estilo de jogo não é sinônimo de "aplicação das ideias durante todos os momentos". Cada partida é uma partida e traz uma diversidade de situações. Diniz não pode deixar que seu bom repertório de jogo de posse seja a única coisa que tenha a oferecer, buscando equilíbrio em diversos aspectos que já se mostraram falhos. 


Por aqui, terá um elenco de qualidade, que permite uma diversidade de opções e vem ganhando novas peças na janela de transferêcias, além de boas opções que voltam de empréstimo. Fernando Diniz precisava do Furacão e estamos o recebendo de braços abertos. Que essa aposta seja certeira.