Furacão, eu te peço: não empreste João Pedro

O Atlético-PR, mesmo com sua equipe de aspirantes, não tomou conhecimento dos titulares do Paraná Clube na Vila Capanema, vencendo por três gols a zero. E a vitória tem nome. Nome composto, na verdade: João Pedro. Vestindo a camisa dez, o ex-jogador do Tricolor, que recentemente voltou de empréstimo após uma ótima Série B, fez valer a folclórica lei do ex para comandar o Furacão em campo, com um gol(aço) e duas assistências. 


Mesmo que não exista muita justiça no fato de João Pedro estar incluso no time de aspirantes enquanto Marcinho, por exemplo, foi direto para o principal, ter um Paranaense sólido e de destaque pode ser justamente o ingresso necessário para mais minutos no time de cima. E para espantar algumas situações que sequer deveriam ser cogitadas. 


Gazeta Press
Gazeta Press

João Pedro liderou o Furacão na Vila Capanema


O América/MG quer o jovem meia com contrato de empréstimo de uma temporada, já tendo prometido titularidade. Vamos ignorar o fato de isso ser bom ou não para o desenvolvimento do jogador. Outra questão deve estar a frente dessa: sua motivação em seguir no Atlético, após o segundo empréstimo consecutivo, seria bem abalada. 


E, tecnicamente falando, não há motivo para abrir mão de seu talento para 2018. O meio atleticano tem, de fato, várias opções. Mas, para pegar como comparação, João Pedro teria mais condições de titularidade pelo o que fez em 2017 do que Nikão, Pablo, Gedoz e Marcinho. 


Ao pensar plenamente na questão do desenvolvimento, o Furacão estaria ignorando o lado humano do atleta, que já é um jogador pronto, de muita visão, finalização de fora da área e dinamismo tático. Um novo empréstimo seria como dizer que ele ainda não é suficientemente bom. E não podemos correr o risco de perdê-lo a troco de quase nada. Repetindo: olhos abertos para João Pedro.