4 a 1 não convenceu: o Barça precisa de muito mais para ganhar a Champions

Acredite se quiser, mas o Barcelona venceu por 4 a 1 sem convencer que pode brigar pelo título da Champions.

Tudo bem, Busquets estava voltando de contusão, Messi parecia com o freio de mão puxado e Ernesto Valverde escalou o time errado para enfrentar a Roma. Ok, mas, assim mesmo, foi ruim demais, moroso demais, engessado demais.

Não acho que o fraco futebol apresentado na noite de ontem tenha sido fruto da boa marcação da Roma, e sim devido ao time escolhido por Valverde. 


getty images
getty images

Escalação certa, contra o time errado


Gosto da formação com Sergi Roberto compondo o meio e Semedo dando mais consistência na parte defensiva, mas, ontem, nenhum dos dois funcionou. Semedo se embananou demais com a bola nas saídas de jogo, tão irregular que quase entregou o gol depois de um lindo drible. Já Sergi Roberto foi praticamente nulo com e sem a bola, pois não funcionou como homem surpresa, apareceu pouco e não desafogou em nada o ataque. Ontem Sergi fez falta saindo de trás como lateral, sem ele o time foi mais lento nas transições da defesa para o ataque.

A formação eleita para o jogo de ontem seria boa para enfrentar o Real Madrid que tem o lado esquerdo muito forte e até mesmo para Bayern e Liverpool, mas, contra a Roma, era jogo para abrir mais o campo e dar mais amplitude para Messi com a presença de Dembélé.

Com o time mais ofensivo, talvez o Barça gahasse pelo mesmo placar, tudo bem, mas o importante é dominar o adversário, cansá-lo, ficar mais com a bola no pé e não dar chances de gol, justamente o contrário do que vimos ontem. O Barcelona sofreu na defesa e cometeu todos aqueles erros defensivos justamente por estar mal escalado. 


getty images
getty images

Com apenas um atacante para conectar, Messi fica sobrecarregado


Observo o Barcelona com pouca intensidade e pouca mobilidade e dinamismo para enfrentar os próximos semifinalistas. Iniesta e Messi estão sobrecarregados, precisam respirar. Ainda assim, ambos foram decisivos ontem. Messi participu dos 3 primeiros gols e concluiu mais de 5 vezes, obrigando Alisson a trabalhar em 3 delas.

As melhores atuações ficaram por conta de Piqué, Rakitic e Luisito Suárez, os três craques mostraram estar bem fisicamente, lutaram por todas as bolas e fizeram a diferença em cada um dos respectivos setores.


getty images
getty images

Piqué e Suárez foram determinantes contra a Roma


Para a volta na Itália, Paulinho também é uma boa opção por conta de sua força física e preenchimento de espaços, mas, já pensando nas semifinais da Champions contra gigantes que estão voando, o Barcelona precisa descansar suas estrelas no campeonato espanhol e preparar o elenco para 3 jogos perfeitos, principalmente executando uma posse de bola efetiva e com Messi mais bem assessorado para respirar e ter mais opções de passes à sua frente. O gênio argentino não pode ter a obrigação de resolver em jogadas individuais contra coberturas triplas, sem nenhuma outra alternativa de iludir a defesa.


Curta a página Barcelonizando no Facebook