Real Madrid só deveria derramar lágrimas por Lionel Messi

Antes de qualquer coisa:

Varane sofreu falta clara de Luis Suárez no segundo gol do Barça e Marcelo sofreu um pênalti claríssimo em entrada de Jordi Alba. Ambos erros de arbitragem foram escandalosos. Ponto!

Mas antes de pensarmos o que teria sido do jogo sem esses erros absurdos, temos que analisar cronologicamente outros 3 erros tão bizarros quanto que fizeram o árbitro aplicar a "lei" da compensação na segunda etapa:

1. Bale deveria ter sido expulso pela entrada praticamente sem bola em Umtiti.

2. Sergio Ramos deu uma cotovelada sem bola no peito de Suárez, também poderia ter sido expulso de campo. Conhecendo bem Sergio Ramos, vocês acham que ele quis agredir ou não?

3. Sergi Roberto, na minha visão, não deu um soco no rosto de Marcelo e não merecia o vermelho. O amarelo estaria de bom tamanho para quem tentou se desvencilhar de uma primeira ação de encontrão sem bola por parte de Marcelo.

Erros à parte, o choro é livre e, se o Real Madrid quiser derramar lágrimas por algo, que chore por sofrer mais uma vez nas mãos (pés) de Lionel Messi.


getty images
getty images

Messi infernizou novamente a defesa merengue


Na bola, foi um jogaço, com 15 minutos o placar já estava em 1 a 1 graças a doislindos gols coletivos, construídos por Sergi Roberto e Suárez pelo lado catalão e por Kroos e Cristiano pelo lado merengue.

Após isso, o Real Madrid comandou o jogo. Os soldados de Zidane mastigaram várias chances para seus atacantes, 5 delas desperdiçadas por Cristiano, sendo duas de frente pro gol e outra por Benzema.

Pelo lado culé, Messi deixou Suárez na cara do gol uma vez e deu grande lançamento para Alba, mas o camisa 10 não parecia envolvido com o jogo, caminhava da mesma maneira que caminhou no Bernabéu no primeiro turno decidindo aquele embate com meticulosa maestria. Porém, a noite de ontem estava diferente daquela tarde na capital. Iniesta estave irregular, Coutinho estava sobrecarregado na marcação e apenas o endiabrado uruguaio se destacava. O argentino precisaria fazer algo a mais, caso contrário, a invencibilidade histórica iria embora justo para o maior rival.


getty images
getty images

O Messi brigador apareceu para comandar o Barça


Quando tudo indicava que o Real Madrid ganharia o jogo com um jogador a mais, Messi teve o empurrão que precisava pra pegar no tranco. Sergio Ramos acendeu quem não devia ao agredir Luis Suárez. No segundo tempo, o Messi driblador e impetuoso deixou o maestro cadenciador de lado e foi pra cima da defesa inimiga, marcou um belo gol se livrando da marcação dupla de Casemiro e Ramos, obrigou Navas a fazer dois milagres e ainda chutou uma bola raspando a trave. A zaga madridista ficou louca. Mesmo assim, apesar da grande atuação do melhor do mundo, o Real merecia o empate pelo que produziu e encontrou seu tento de empate em uma maravilha de Gareth Bale, após um bolão de Asensio. Um 2 a 2 justo.

Messi chegou ao seu gol de número 26 no Superclássico e no gol 33 no campeonato espanhol. O Doblete como melhor jogador já veio e a Chuteira de Ouro está próxima, mais uma temporada em um nível estratosférico do camisa 10, que na próxima temporada ainda carregará a braçadeira de capitão do time.


getty images
getty images

The King


Agora faltam apenas 3 jogos para que o esquadrão de Valverde entre para os livros de história como único campeão invicto com 38 rodadas na Espanha.

Tem que respeitar, tem que aplaudir e tem que fazer o "pasillo" pra esse time.

Curta a página Barcelonizando no Facebook