Um minuto para decidir: Dembélé e Stegen levam o Barça ao título da Supercopa da Espanha

Um Barcelona com quase meio time reserva na primeira etapa demonstrou mais apetite que o Sevilla e produziu futebol suficiente para merecer a taça da Supercopa da Espanha, porém, os minutos finais da partida é que mostraram o poder de decisão de dois craques que deixaram suas marcas cravadas nesta conquista.


getty images
getty images

Dembélé recebendo o abraço dos companheiros pelo gol do título


Mesmo sendo o melhor em campo, para variar um pouco, criando inúmeras chances e com os dois gols saindo de seus pés, Lionel Messi não foi o protagonista desta final jogada no Marrocos. Entre o domínio ofensivo e algumas panes defensivas, os reservas Lenglet e Rafinha não passaram confiança, Arthur teve um desempenho regular e Semedo mostrou que pode roubar a vaga da lateral de Sergi Roberto nesta temporada.


Com as entradas de Rakitic e Coutinho no segundo tempo, já com o 1 a 1 no placar, o time catalão cresceu, e mesmo com um erro crasso do técnico Valverde no posicionamento de Dembélé, a equipe criou chances para vencer, entretanto, o gol do título só saiu quando o insistente erro foi corrigido.


Pela primeira vez estranhamente escalado pelo lado esquerdo do campo desde que chegou ao Barça, Dembélé até desenvolveu algumas jogadas, mas se viu torto e perdido na maior parte do tempo naquele setor. Quando já eram jogados 30 minutos do segundo tempo, Valverde finalmente ordenou que a mudança de lado fosse feita, o desenho original com Coutinho na esquerda e Dembélé na direita pareceu um passe de mágica e pouco mais de um minuto depois, com a engranagem perfeita, Messi cobrou falta curta com velocidade e o jovem frances conduziu até a entrada da área para soltar um foguete na coruja. Golaço para provar o seu valor e mostrar que este ano Dembélé é realidade e será peça chave para o clube culé ganhar tudo.


getty images
getty images

Stegen cometendo penalidade no minuto final do jogo


Se o caixão do Sevilla já parecia selado, Stegen queria emoção. Uma má reposição de bola do goleiro alemão aos 44 do segundo tempo transformou-se em contra ataque do Sevilla e penalti do próprio goleiro ao projetar o corpo para obstruir o atacante adversário que já havia sido desarmado. Uma prorrogação naquele momento seria terrível para o Barça, o time estava esgotado. Eis que Stegen mostrou a sua grandeza e no minuto seguinte reverteu a situação adversa ao escolher o canto certo para segurar a cobrança colocada do camisa 9, Ben Yedder. Nos minutos finais o Barcelona ganhou dois heróis: gigante Ter Stegen e super Dembélé!


getty images
getty images

histórico troféu 33 do capitão Lionel Messi


A conquista ficou ainda mais saborosa com Messi levantando o seu primeiro troféu como capitão número um do time. o craque também atingiu a marca histórica de 33 títulos pelo Barcelona, se isolando como o maior ganhador da história do clube azul grená. Que recorde!


A temporada só está começando, este Barça promete muito com um meio campo reforçado e um ataque de enlouquecer qualquer defesa!


Curta a página Barcelonizando no Facebook