Convenhamos, o elenco do Barcelona não é tão bom quanto pensávamos

Ah se não fosse o Real Madrid!


Se não fosse a derrota do Real Madrid para o Sevilla por 3 a 0, hoje o Barça teria perdido a liderança, estaria à beira de uma crise e o técnico Valverde certamente estaria com a corda no pescoço. A derrota do rival será uma grande e rara oportunidade de uma nova chance para o time catalão se acertar em campo e se refazer mentalmente depois de perder 5 pontos seguidos diante dos pequenos Girona em casa e para o Leganes, na vexatória derrota de virada na tarde de ontem.


Dois tropeços com giros no elenco. O time sente quando muda.


A vergonha deste domingo deixou bastante evidente que o clube culé não contratou com deveria, mesmo tendo se livrado de pesos mortos, como André Gomes e Lucas Digne. Procurando continuar rodando o elenco, o técnico Ernesto Valverde poupou apenas Jordi Alba e Luis Suárez, alterações suficientes para concluir que o Barça não tem um elenco tão bom quanto pensávamos.


getty images
getty images

Nem Stegen salvou dessa vez


Para a vaga de Alba, Vermaelen. Vermaelen? Sim, Vermaelen! Por que? porque a outra opção seria um moleque da base. Já para o lugar de Luisito, veio Munir, o novo reserva da camisa 9. Conclusão obvia: é muito pouco para um clube deste tamanho. Não só é pouco, foram contratações mal feitas e sem reposição. Outro velho problema não foi sanado, a velha insistência em Sergi Roberto na lateral. O talentoso canterano continua improvisado sendo uma avenida na parte defensiva. Se Semedo não serve, deveriam ter trazido um titular para a posição. Um nome? Eu escolheria o belga Meunier, do PSG.


A partida de ontem estava controlada, Messi e Coutinho estavam resolvendo bem na primeira etapa, porém, o time sentiu o gol de empate, criado nas costas de Sergi Roberto no cruzamento e nas costas de Vermaelen na conclusão de cabeça. A virada veio em seguida, em uma lambança de Piqué. O "presidente" parece estar no começo de seu declínio, já havia falhado nos dois gols diante do Girona, ontem veio mais uma falha grave. Adivinha quem o Barcelona trouxe para a reserva da zaga? O limitadíssimo Lenglet.


As grandes contratações da última janela foram Malcom, Vidal e Arthur. Duas promessas e uma realidade. Mas ao mesmo tempo que Vidal é uma realidade, o chileno não é melhor do que Paulinho para o que o Barcelona necessita. A perda do brasileiro, por mais espantoso que possa parecer, é irreparável, e até agora, inexplicável. um jogador encaixado no elenco e importantíssimo em grandes partidas do Doblete da temporada passada não poderia ter sido negociado.


Pra piorar a engrenagem do time, Valverde continua insistindo em Dembélé flutuando torto e perdido pelo lado esquerdo do campo. O craque francês já provou que pode decidir mesmo em posição desconfortável, mas também está claro que ele fica ausente do jogo naquele setor. O lugar do camisa 11 é na ponta direita.


getty images
getty images

Coutinho e Messi foram os únicos que se salvaram neste domingo


A esperança nesta temporada estará novamente nos 11 titulares e mais especificamente no brilho e na qualidade mágica de um quarteto fantástico se jogar encaixado como deve. Messi, Coutinho, Dembélé e Suárez já proporcionaram goleada de 8 a 2 no campeonato espanhol e um 4 a 0 na estreia da Champions. O problema está nas partidas fora, o time azul grená já vinha atuando mal, até mesmo nas vitórias diante do Valladollid e do Real Sociedad, ambas no sufoco e com mal futebol.


Que a oscilação seja pelo início de temporada, que venha a recuperação diante do Bilbao sábado e que possamos ver esse conjunto forte no grande teste da segunda rodada da Champions no dia 03/10, contra o Tottenham em Wembley. Esta sim será a partida chave para oberservar e medir a força deste esquadrão.

Siga a página Barcelonizando no Facebook