Líder dolorido sem Messi, mas o show tem que continuar

Bastaram 12 minutos para Lionel Messi dar um passe magistral para a linda conclusão de Coutinho na gaveta e para logo marcar belo gol em velocidade depois de enfiada de Suárez. Pronto, a liga espanhola já estava nos trilhos novamente pelos pés de Messi, o ameaçador Sevilla voltara a ser a vítima de sempre e o clube catalão estava de volta ao topo da tabela.


getty images
getty images

Messi teve que deixar o campo após machucar o braço


Mas infelizmente foi uma vitória dolorosa, Messi quebrou o braço, saiu do campo antes dos 30 minutos e ficará de fora das próximas seis partidas do clube, incluindo o super clásico diante do Real Madrid e os dois confrontos contra a Inter de Milão pela Champions. Doeu fundo no coração de todo fã do futebol. Entretanto, apesar dessa dor, o time reagiu bem sem seu camisa 10, sem sua eterna referencia, e mesmo sofrendo demais na defesa, continuou encaixadinho com a entrada de Dembélé aberto na direita.


Outros heróis deram as caras no Camp Nou contra o Sevilla e me fizeram acreditar que o elenco pode seguir honrando a camisa e mantendo a ponta em todas competições, mesmo sem Messi, o time encaixou de vez.


Ter Stegen teve uma atuação de Superman, foram defesas milagrosas com todos os recursos possíveis, daquelas de se guardar para sempre, confirmando que hoje sem nenhuma dúvida: o Barça tem um goleiro top 3 do mundo, se já não for o melhor. Outro que vem se firmando com mais minutos em campo é o lateral Semedo. A confiança do lateral portugues é clara, muito mais desenvolto para avançar, para driblar e para tabelar, além de ser muito mais seguro na defesa do que Sergi Roberto. Até Lenglet está mais confiante e mais entrosado com Piqué. Busquets voltou a jogar o seu melhor futebol, um maestro, Rakitic já recuperou a forma física e segue fazendo golaços e Arthur se firmou de vez como titular absoluto deste esquadrão. Como dito em outro post, o menino com o DNA Barça virou peça chave do encaixe deste meio campo. O novo dono da camisa 8 esconde a bola como poucos, defende bem, compõe a linha defensiva com obediencia e libera Coutinho para atacar com mais liberdade. Com Iniesta, o time tinha mais chegada e mais criatividade, mas com Arthur existe melhor composição defensiva, mais equilíbrio e mais juventude e intensidade com os dois brasileiros dobrando por aquele setor esquerdo.


Para completar, Suárez voltou a jogar muito. O uruguaio já vinha sendo importantíssimo. Mesmo sem marcar, o camisa 9 vinha participando de quase todos os gols e ontem não foi diferente, e desta vez, foi coroado com um gol de penalti, após produzir uma fantástica jogada individual. Nunca duvidem de Luisito!


getty images
getty images

Suárez voltou a atuar bem pelo Barcelona


Sem o melhor do mundo, a produção ofensiva vai diminuir, os gols e as jogadas geniais também, porém, ninguém precisa sair do lugar, a engrenagem é a mesma, não haverá confusão tática com a entrada do talentoso Dembélé.


Serão apenas 6 jogos para a volta de Messi. Não há necessidade de desespero, o show tem que continuar.


Siga a página Barcelonizando no Facebook