Respeita o moleque: Dembélé decide

Ele tem causado polêmicas, ele parece ser avoado e parece viver em outro mundo, mas joga demais. Veloz, driblador, ágil, joga com as duas pernas e DECISIVO. Tem que respeitar o Moleque:

Supercopa da Espanha: Barça 2 X 1 Sevilla - Gol da vitória de Dembélé.
La Liga: Valladollid 0 X 1 Barça - Gol da vitória de Dembélé.
La Liga: Real Sociedad 1 X 2 Barça - Gol da vitória de Dembélé.
La Liga: Rayo Valecano 2 X 3 Barcelona - Gol do empate de Dembélé.
La Liga: Atlético de Madrid 1 X 1 Barcelona - Gol do empate de Dembélé.



getty images
getty images

Dembélé recebe o carinho de todos companheiros após marcar o gol salvador





O Barcelona colocou o Atlético de Madrid na roda em seu próprio estádio, foi um baile, mas não o suficiente para vencer. Faltava alguma coisa, faltava um homem de frente, um jogador agudo, de drible, que confundisse uma zaga tão bem montada por Diego Simeone. O técnico catalão Ernesto Valverde precisou sofrer um gol para ousar, sacar dois volantes e colocar Dembélé e depois Malcom para empatar a partida em menos de dez minutos. Deu certo, o campo abriu, sobrou dois segundos de espaço para Messi e o gênio conseguiu um passe magistral entre dois zagueiros para encontrar o contestado Dembélé. Finta no zagueiro, chute de perna esquerda e bola na rede. O moleque decidiu novamente.


getty images
getty images

Messi e Dembélé: parceria afinada e carinho mútuo




Contestar Dembélé é fácil, basear o desempenho no preço pago ao Borussia também. Difícil é admitir que ele é jovem, que vai errar e que é preciso deixá-lo errar para achar o ponto certo de suas jogadas rápidas e criativas. Um jogador desse nível precisa de confiança e de minutos, de sequência de jogo. Mesmo assim, como citado acima, o ligeirinho francês já decidiu 5 jogos nesta temporada, todos eles fora de casa. Mas não foi só isso, Dembélé esteve nas melhores partidas do time na temporada passada antes da chegada de Coutinho, os duelos contra Juventus e Chelsea pela Champions são grandes exemplos disso. Neste ano Dembélé começou como titular e també, já fez gol de placa contra o PSV pela Champions, mesmo jogando torto no lado direito. Isso mesmo, muitas das vezes em que atuou nesta nova temporada, Dembélé foi queimado por seu treinador ao ser colocado no lado esquerdo. O mundo todo sabe que o camisa 11 atua melhor pelo lado direito, vide o gol decisivo aos 44 do segundo tempo ontem no Wanda Metropolitano, o gol decisivo de fora da área na gaveta contra o Sevilla na final da Supercopa ou a sapatada contra o Chelsea. Exemplos não faltam.


Com o provável retorno de Coutinho, Dembélé provavelmente seguirá como suplente, já que o encaixe perfeito do time conta com três homens no meio de campo. Mas não seria nenhum absurdo optar pelo quarteto fantástico em partidas pelo campeonato espanhol no Camp Nou, esta versão deve ser trabalhada até como opção para emergências nas disputas de mata mata. Por falar nos três homens de meio campo, não posso deixar de citar a excelente partida de ontem do trio formado por Busquets, Arthur e Vidal, foi o grande destaque da noite de sábado juntamente com a solidez e o controle de jogo. A equipe azul grená se mostrou mais segura com a volta de Umtiti, sofreu um gol de escanteio no mérito de Diego Costa, mas quase todos trabalharam bem. Os fracos desempenhos ficaram por apenas conta do apavorado Semedo e do apagado Sergi Roberto, que decepcionou no meio campo.



getty images
getty images

As chances deverão aumentar para Dembélé





Notícias ruins

Além de decepcionar, Sergi Roberto sofreu lesão muscular e só volta daqui um mês. Em seu lugar entrou Rafinha, o time melhorou e o brasileiro foi importante mais uma vez, ou, pela última vez. Neste domingo foi divulgado um comunicado informando que Rafinha sofreu um ruptura de ligamento no Joelho esquerdo, o meia será operado e voltará provavelmente só na temporada que vem. Dolorosa notícia para este jogador que vinha dando a volta por cima com a camisa do Barcelona após substituir Messi com exuberância e depois de ser convocado por Tite para a seleção brasileira. Dolorosa notícia.



Daqui até o final do ano Dembélé, Vidal e Semedo terão grandes chances de mostrar serviço para confundir a cabeça de Valverde e para encerrar 2018 com um sistema de jogo consistente para o time tentar disparar na la Liga e para confirmar a primeira colocação no grupo da Champions.


Siga a página Barcelonizando no Facebook