Pode comparar: Messi e Pelé, mesa para dois

A gente espera a semana inteira, a gente conta os dias, a gente fica amargurado quando ele não joga, a gente sabe do que ele é capaz, mas a gente sempre se surpreende, por isso o amamos. Mas existe uma coisa que nós, fãs de Messi, nunca fazemos, nós não comparamos o incomparável, mas sinceramente, apesar das enormes diferenças de tempo, é exatamente por essa expectativa criada e realidade cumprida a cada semana, que posso afirmar com tranquilidade: pode comparar.


Getty Images
Getty Images

Messi e Pelé já podem sentar juntos na mesma mesa de debate


Assim como Pelé fazia, Lionel Messi espantou o mundo mais uma vez, o mais extraordinário deste novo feito, que coroou o seu hat-trick de número 50 em sua carreira, foi pela virada heróica e pelos três gols terem sido golaços de enlouquecer narrador, três traços de arte diferentes entre si, mas que mostram o que quem é fã já sabe e para quem não é se tornar um. Voleio na veia, perna direta com curva e cavadinha milimétrica. Messi tem tudo, Messi é completo, é total, que me desculpe (e que aceite) o Rei Pelé.


O poder de decisão de Messi e a capacidade de marcar três gols em um mesmo jogo tantas vezes em 797 partidas e com apenas 31 anos, mostra para quem não assiste aos jogos completos, o repertório deste gênio da bola. Messi produz chances de gol em espantosa quantidade. Isso faz dele o melhor do mundo disparado há dez anos. Messi dribla, arma o time, recebe de costas, gira, contorna, vai dentro, quebra linhas e lá está sempre marcando ou dando passes magistrais para gol. Ontem ele chegou a 267 assistências com uma enfiada primorosa para Suárez, alcançou também a marca de 650 gol antes dos 800 jogos. Atleta camisa dez e goleador neste porte, somente Messi e Pelé. Os gols do nosso eterno Rei vieram ainda em maior quantidade, enquanto Messi ja soma mais títulos ,33 contra 32 do brasileiro (algumas fontes dizem mais outras menos), mas não só por números, é pela bola, em cada jogada, em cada solução em espaços minúsculos, sempre com três defensores à espreita, não só na hora de matar o goleiro. Pode comparar.


Se nunca haviam visto algo como o camisa 10 da Seleção de 58, 62, 66 e 1970, nunca vimos antes também um extraterrestre canhoto dominar o planeta por dez anos, levar seu clube a jogar o futebol mais bonito da história, carregar sua seleção a uma final de Copa impensável e depois evitar que o seu país passasse vergonha no último mundial. As curvas entre eles são distintas, mas pode comparar.


Getty Images
Getty Images

Messi, mais uma vez, mostrou todos seus recursos ofensivos


Quarta-feira, lá estará Lionel Messi novamente no Bernabéu desfilando sua arte, lá estará Messi certamente criando chances de gol, assim como faz todo santo jogo, independente de gols, independente dos passes para gols que resultam ou não em bola na rede. Lá estará Messi diante de seu maior rival, diante do gigante Real Madrid, o gigante que há muito tempo se rendeu à este argentino, o gigante que joga primeiramente pensando em como anular este ser, pensando desesperadamente em como vencê-lo, como superá-lo.


Para quem pensa que a atuação de Messi contra o Sevilla foi um caso que acontece de tempos em tempos, deveria ver o que ele já fez contra o Real Madrid ao decorrer de sua carreira. Dos 797 jogos de Lionel, certamente em 90% dessas partidas, ele jogou muito bem, pode acreditar, mas contra o Real, de sua imensa lista de partidas extraordinárias, no mínimo 10 delas foram contra os Merengues. Já tiveram dois jogos com hat-trick, já teve show na semi de Champions com gol fazendo fila, já tiveram duas vezes gols decisivos no último minuto, já teve golada de 5 a 0, já teve de tudo.


O importante é que em dois dias tem mais, e nós, fãs de Messi, queremos vê-lo para sempre, mas como sabemos que um dia o fim chegará, só nos cabe aproveitar e rezar para que ele não pare tão cedo, pois só de ver o tempo passar tão rápido, já machuca demais.


Vamos aproveitar. Nunca haverá outro igual. Pode comparar, o Rei tem companhia nesta mesa para dois.