A segunda (e talvez última) grande chance de Coutinho no Barcelona

Estava tudo bom demais para ser verdade no Barcelona.

O carnaval em Madrid com virada no confronto histórico para 96 a 95, que não acontecia desde 1932, veio com duas vitórias seguidas no Bernabéu, que não só deram vaga na final da Copa do Rei e praticamente garantiu o título da LaLiga, como também encorpou o time catalão e desmoronou o rival marengue. O efeito da era Messi do clube culé sentenciou uma era vencedora dos madrilhenhos.


getty images
getty images

Time grande: Duas vitórias seguidas no Bernabéu




No último sábado, um treino de luxo contra o Rayo Vallecano foi bem conduzido com pé no freio e teve até uma bela iniciativa de Valverde, que colocou o quarteto fantástico na segunda etapa. Arthur deixou o campo no intervalo para a entrada de Dembélé, que foi decisivo mais uma vez, jogando na direita, aonde se sente mais confortável, e assim, a vitória foi construída com naturalidade.


Messi continua espetacular como sempre, Suárez recuperou a confiança contra o Real Madrid e Dembélé segue voando. Este seria o trio para enfrentar o Lyon na quarta pela Champions. Infelizmente, seria. O craque francês sentiu lesão muscular, deve ficar de fora e uma núvem de incertezas pairou sobre o Camp Nou. Os olhares de desconfiança e preocupação estão justamente sobre o substituto, o brasileiro Philippe Coutinho. A estrela anda apagada, triste e pior, encaixotada. Coutinho não está encontrando solução para o seu jogo no lado esquerdo do ataque.



Getty Images
Getty Images

Dembélé vai fazer falta





Alguns jornais da Espanha fazem críticas fortes, afirmando que o Barcelona está jogando com um a menos com o camisa 7. Eu não iria tão fundo, mas confesso que uma classificação que parecia certa para as quartas da Champions, está ganhando cara de sofrimento por causa desta lacuna. Pode parecer exagero, mas Coutinho e Malcom, os reservas imediatos para a vaga de Dembélé, não estão à altura do posto, e em um jogo tão nervoso, em que o Barça tem obrigação de vencer, esta peça será vital para dar respiro a Messi e Suárez.


Para quem quiser olhar com otimismo para o cenário de quarta-feira, vale lembrar que há pouco tempo, pelas quartas de final da Copa do Rei, o Barça perdeu para o Sevilla fora de casa por 2 a 0, e na volta, no Camp Nou, com Coutinho nesta mesma vaga, no lugar do então contundido Dembélé, o Barcelona venceu por 6 a 1, com dois gols do brasileiro. Naquela data também diziam ser a grande chance de redenção do craque ex-Liverpool, agora, dizem que é a segunda e última chance. Se for bem, ressuscita, se for mal, deve afundar no banco até o restante da temporada, com uma possível transferência para PSG ou Manchester United em julho (segundo jornais europeus).


getty images
getty images

Contra o Sevilla Coutinho mostrou seu valor





A solução para Coutinho está novamente em seus pés e, principalmente, em sua cabeça. Mesmo sem jogar em sua posição ideal, o Pequeno Príncipe precisará oferecer movimentação, atitude, infiltrações sem bola com facões por dentro e menos erros de continuidade nos passes. Mas isso tudo só virá com a força psicológica, se a confiança, a parte mental estiver bem, o futebol que o mundo conhece irá ressurgir.


Clique aqui para seguir Barcelonizando no Facebook

Clique aqui para seguir barcelonizando_oficial no Instagram