Amém, Messi: ninguém pode com o melhor da história

Depois de um jogo desses, é hora de escrever com emoção!

Um duelo amarrado, arrastado, caminhando para um zero a zero temeroso. Quem ama o futebol pedia por um milagre, clamava por alguém como quando se grita pelo Superman em situações de crise. Eis que ele surgiu e fez o que se espera de um super-herói. Não adianta duvidar, Messi não é humano.


Também não adianta ter o melhor técnico do mundo.


Não adianta ter o melhor goleiro do mundo.


Não adianta ter a base da melhor seleção do mundo.


Não adianta ter tática.


Não adianta ter o estudo mais avançado.


Não adianta ter a melhor preparação.


Não adianta ter mais posse de bola.


Não adianta preencher o meio campo para reter a bola.


Não adianta ter a famosa frieza alemã.


Não adianta dar porrada.


Não adianta intimidação.


Não adianta pressão.


Não adianta vir com blábláblá sobre Cristiano, Maradona e Pelé. Sinto muito mesmo.


Getty Images
Getty Images

Messi só não fez chover diante do Bayern.


Messi rompeu a defesa, achou um milímetro pra vencer Neuer no primeiro gol, sentou Boateng no segundo e deu totó de cobertura com a perna direita para saudar o melhor goleiro do mundo. Tremeu, né? Ainda teve a assistência pra Neymar fechar a conta. Amém, gênio!

Quando Messi joga o seu máximo ele faz o amante do futebol arte chorar. Choremos por futebol, oremos por Messi. Que este mito nos brinde mais e mais vezes com atuações como esta. Nesta temporada, depois da Copa do Mundo, ele se reinventou. Fez o impossível virar realidade, criou-se o melhor de todos os Messis!


O Barça está muito perto da final da Champions.


O futebol merece ver Messi conquistando esta taça ao lado deste tridente sulamericano tão especial e quase histórico. Que este time vire lenda, pois Messi já é lenda viva faz tempo. 


Hasta Munique, hasta Berlim!