Por que o Barcelona deve adotar rodízio de goleiros

Durante seu período treinando o Barcelona B, Luis Enrique implementou uma filosofia diferente para os goleiros do time. Lucho dava para cada jogador da posição seis partidas consecutivas no time titular. Era um rodízio que permitia ao treinador dar minutos de jogo para todos os goleiros da segunda equipe do Barça.


Ao ser perguntado se faria isso no time principal, ele mesmo assumiu que não seria uma tarefa fácil repetir essa filosofia, mas fará o que for necessário para beneficiar o clube.


Durante a semana, o Barcelona deu um passo indicando que o rodízio de goleiros pode ser feito também na equipe principal. O goleiro Cláudio Bravo, que defende a meta da seleção chilena, foi contratado. Estima-se que o Barça tenha desembolsado 12 milhões de euros para contar com o jogador que fez um bom campeonato espanhol pela Real Sociedad.



Nas últimas temporadas, o Barça contou com dois goleiros principais, Valdés e José Pinto. Enquanto nos jogos do Campeonato Espanhol e da Champions League Valdés era o titular, na Copa do Rei José Pinto era escalado entre os 11 iniciais.


José Pinto foi trazido por empréstimo em janeiro de 2008 para substituir o goleiro Jorquera, que havia sofrido uma lesão nos ligamentos do joelho. Ele foi contratado no final da temporada por 500 mil euros, valor 24 vezes menor do que o pago por Bravo e pelo alemão Marc-André ter Stegen. Nessa época, Valdés já era o titular. Era uma situação diferente da que veremos na próxima temporada com os dois goleiros recém-contratados.


Além disso, tenho três motivos para acreditar que a história de Valdés e José Pinto não irá acontecer com Stegen e Bravo. O primeiro é o já citado rodízio que Luis Enrique fazia no Barça B. É provável que ele faça algo parecido no começo da temporada, para decidir qual goleiro estará mais apto a ser titular em jogos decisivos.


Getty Images
Getty Images

Claudio Bravo defende a seleção chilena na Copa, e foi escolhido o melhor jogador da partida contra a Espanha


O segundo motivo vem do próprio Barcelona. De acordo com o que foi escrito no anúncio da contratação no site oficial do clube, Bravo chega para disputar posição com Stegen.


E, por último, é uma questão de lógica. O Barcelona pagou 12 milhões de euros por Stegen, que veio com a clara missão de substituir Valdés. Não faria sentido pagar o mesmo valor, que não é barato se tratando de um goleiro, para manter Bravo na reserva na maior parte da temporada. É claro o objetivo do Barça de criar uma disputa pela vaga de goleiro do time.


E essa competição será bem vinda. Os dois goleiros precisarão de uma sequência de boas atuações para conquistar a vaga de titular no time. Bravo é mais experiente do que Stegen, mas Marc-André é promissor e ainda crescerá muito defendendo as cores do Barcelona. Será interessante ver como Luis Enrique irá administrar essa briga por posição. E com certeza o maior vencedor dessa disputa será o Barcelona, que contará com dois goleiros precisando jogar em alto nível.