No dia do primeiro gol de Coutinho, Suárez foi o grande destaque do Barça

Getty Images
Getty Images

O momento que Coutinho tanto esperava


Receber um passe de Suárez, comemorar abraçando Messi e Iniesta. Momentos assim fizeram Coutinho insistir tanto em jogar no Barcelona. Um grande craque, rodeado pelos melhores. A pressão pelo primeiro gol estava ficando maior, mas a bola na trave no último final de semana já dava indícios que o melhor estava perto de chegar.


O cruzamento de Luisito foi excelente, mas não foi fácil para o brasileiro acertar a bola, muito menos colocando no canto oposto ao goleiro. Se ele realmente tinha a intenção de colocar a bola naquele canto exato, pouco importa. O significado do gol é o que realmente tem valor.


Coutinho fez seu primeiro gol pelo Barça em um momento muito importante do jogo. Em menos de cinco minutos em campo, no segundo tempo, o camisa 14 praticamente matou a eliminatória. Um gol que deu confiança e tranquilidade para ele e também para o time.


O momento é do brasileiro, que tirou um peso de suas costas, e também de Mina, que fez sua estreia ao substituir Piqué nos 10 minutos finais da partida. Considerando os problemas físicos do camisa 3 e a suspensão de Umtiti para o próximo jogo, é bastante provável que o colombiano volte a jogar na partida contra o Getafe, no domingo.


Getty Images
Getty Images

Mina estreou e recebeu o apoio de Piqué após a partida


Apesar desses dois destaques, o melhor jogador da partida foi Suárez, que segue em grande fase. Dessa vez sem fazer gols, ele deu o passe para Coutinho abrir o placar, e também recuperou a bola no campo de ataque antes de dar a assistência para o gol de Rakitic.


A fase do uruguaio é importante por ir além dos gols. Luisito está tomando as decisões certas, fazendo as jogadas com a inteligência que vimos em seus melhores momentos pelo Barcelona. Os problemas físicos do início da temporada ficaram no passado, a confiança voltou e Suárez voltou a ser uma máquina de decidir jogos.


Também vale destacar que Rakitic fez muito mais do que apenas o gol. Mais uma atuação discreta, porém fundamental para o equilíbrio do time. Jogando mais próximo de Busquets, dando sustentação ao meio de campo, o croata vive ótima fase e se tornou imprescindível no esquema tático de Valverde.


Pela primeira vez na história um clube chega a cinco finais seguidas da Copa do Rei. O Barça tem a chance ainda de conseguir o quarto título consecutivo, algo que não é alcançado por nenhuma equipe desde os anos 1930, na ocasião pelo Athletic Bilbao.


Getty Images
Getty Images

Um gol no jogo de ida, duas assistências no de volta: Suárez decidiu a eliminatória


A final tem data marcada, 21 de abril, mas, como de costume, não tem estádio definido para disputa. Camp Nou e Sánchez Pizjuán estão descartados, já que Barça e Sevilla não aceitarão jogar na casa rival. Wanda Metropolitano, novo estádio do Atlético de Madrid, seria uma opção óbvia. Contudo, já há uma partida do Campeonato Espanhol marcada no estádio para o final de semana do dia 21.


A melhor opção para todos seria o Santiago Bernabéu. Todo ano os clubes envolvidos na final sugerem o estádio, mas todo ano o Real Madrid cria uma desculpa para não ver o Barcelona jogando uma final em sua casa. Veremos qual será a desculpa dessa vez. A novela deverá se estender por algumas semanas, mas o mais importante está definido: o Barça está em mais uma final, pronto para manter seu título de Rei de Copas.