Campeão de novo, Barça transformou La Liga em 'campeonato de um time só'

Quando em 4 de março o Barcelona venceu o Atlético de Madrid, ficou claro que o título espanhol já tinha dono. Hoje, isso foi oficializado. Pela sétima vez nos últimos 10 anos, a taça do Campeonato Espanhol fica na Catalunha. Um feito impressionante, uma “barbaridade”, como disse Busquets após o jogo.


Em mais da metade dos sete títulos, houve ao menos uma outra conquista importante para acompanhá-lo. Na atual temporada e também em 2015/16, doblete. Em 2008/2009 e 2014/15, triplete. É um ciclo vitorioso gigantesco, que se estendeu mesmo em uma temporada que começou com problemas que indicavam um caminho muito mais difícil em La Liga do que realmente foi.


O fato é que o Barcelona fez a competição se tornar um "campeonato de um time só". Esse é o termo que costuma ser usado quando falamos da Alemanha, onde o Bayern possui uma gigantesca supremacia, e da Itália, onde esse papel é exercido pela Juventus. O time de Munique também já garantiu o título na atual temporada, seu sétimo em dez anos. A Juve caminha para conquistar a Itália novamente, também o sétimo título em dez anos.


Mesmo com um rival com poder econômico equiparável, e outro que mesmo sem tanto dinheiro consegue montar equipes fortes e que dão trabalho, o Barça mantém sua supremacia. A temporada não foi a mais brilhante dessas sete conquistas, mas merece ser valorizada por todo o contexto em que o elenco se encontrava em agosto do ano passado, e também pela enorme série de 34 jogos de invencibilidade.


Getty Images
Getty Images

Hat-trick de Messi e mais um título na conta


Vencer La Liga significa ser o melhor time durante toda a temporada. Apesar do peso da Liga dos Campeões, é possível conquistar a competição europeia fazendo poucos grandes jogos durante a temporada, enquanto o campeonato local premia quem foi mais regular e manteve o alto nível semana após semana.


Claro, o peso da eliminação da Champions tem impacto na forma como a temporada do Barcelona é encarada e como a próxima será planejada. Contudo, vencer o título espanhol, ainda mais estando a quatro jogos de terminar a competição invicto, mostra que um grande trabalho foi feito.


A genialidade de Messi, que coroou a conquista com mais um hat-trick, sempre é o brilho maior de qualquer título do Barcelona. Contudo, é preciso valorizar muito o papel de Valverde, que equilibrou a equipe depois do início de temporada turbulento.


Também merece muito destaque Stegen, que fez uma temporada fantástica e foi o pilar da defesa que caminha para ser a segunda melhor da competição. Busquets e Rakitic deram equilíbrio ao meio de campo, enquanto Iniesta fez por merecer a oportunidade de erguer seu último troféu como jogador do Barcelona.


A comemoração se estenderá durante a noite e continuará com o desfile dos campeões pelas ruas de Barcelona na segunda-feira. Depois, foco em manter a invencibilidade no próximo final de semana, no clássico contra o Real Madrid.


O Barcelona acabou de estender suas marcas históricas com o título e o doblete, mas já tem outra grande marca para perseguir. Um reflexo da era de ouro que ainda é vivida pelo clube, e que não tem prazo para acabar enquanto Messi estiver em campo.