Messi destrói recordes e a noção do impossível

Era questão de tempo até Messi superar os 54 gols marcados por Batistuta na seleção argentina. A marca foi igualada no final de semana, contra a Venezuela, e parecia destinada a ser batida ainda na Copa América. Leo já é o maior artilheiro da história do Barcelona e do Campeonato Espanhol. A coroa em sua seleção era inevitável.


Mas Messi não sabe bater recordes sem dar show. Estamos acostumados a ver um hat-trick quando alguma marca é batida, mas dessa vez foi diferente. O espetáculo veio com um gol de falta genial, daqueles que quem vê fica tentando entender como aquilo é possível. Uma bola colocada no ângulo com um chute preciso como o tiro de um atirador de elite. Força, jeito, precisão, tudo perfeito para um gol que entra na história.


Messi nos deixou mal-acostumados. Não nos surpreendemos mais em ver recordes absurdos serem quebrados jogo após jogo porque é isso que ele faz desde que vestiu pela primeira vez a camisa do Barcelona. Mesmo assim, ainda que sem surpresa, sempre ficamos espantados. Espantados com a perfeição da história que o camisa 10 constrói, encontrando uma forma de tornar ainda mais memorável cada grande momento de sua carreira.


Getty Images
Getty Images

Messi não se cansa de destruir recordes e fazer história


Se tornar o maior artilheiro da seleção argentina com um dos mais belos gols de falta dos últimos anos é algo tão improvável e difícil de ser feito que só Messi poderia tornar tal feito algo natural. Quebrar recordes e destruir qualquer noção do que é possível e impossível, essa parece ser a única regra que Leo respeita dentro de campo. Sua genialidade faz com que ele pareça disputar outro esporte, em um ritmo diferente de todos os outros presentes em campo. Existe o mundo dos jogadores, e existe o mundo de Messi.


A Argentina chega a mais uma final, a terceira seguida em grandes torneios, e nunca a influência do capitão e camisa 10 foi tão grande. Cada passe e cada lance passa por seus pés. Os jogos são decididos por suas genialidades. Em seu último jogo antes de completar 29 anos, Messi mostrou a maturidade de um jogador que fica melhor a cada dia, que sabe o que precisa fazer para tornar o time melhor. Esse é seu alvo, fazer a seleção argentina voltar a ganhar algum título. Os prêmios individuais não importam mais, se tornaram a consequência de atuações brilhantes de um líder que busca sempre o melhor para sua equipe. Se tornou o maior artilheiro da Argentina no mesmo dia em que deu mais duas assistências. É o jogador com mais passes pra gol na história da Copa América. A realização perfeita do atacante completo.


Messi nos encantou mais uma vez. Com outro golaço, com outro recorde, com outra grande atuação. São 55 gols pela Argentina, mais de 400 pelo Barcelona, e uma trajetória que fica mais bonita a cada partida. Somos sortudos de fazer parte de uma geração que daqui a alguns anos vai poder contar as histórias dos anos em que pudemos ver a história do gênio Lionel Messi ser construída na frente de nossos olhos.