A prioridade do Bayern neste fim de janeiro

Claro que reclamações a respeito do elenco sempre existirão. É uma constante: quando não há um jogador lesionado, o que no Bayern é uma raridade, determinado setor acaba carecendo de um ou dois reforços. Janeiro, que assim como no verão também tem sua janela, acaba sendo uma boa oportunidade para estes pedidos por parte da torcida.


Entretanto, por mais que já tenhamos discutido aqui neste espaço a necessidade de o clube trazer um ponta-esquerda, agora não dá para levantar qualquer hipótese disso: as melhores opções não seriam utilizáveis no melhor campeonato. A essa altura da temporada, a meta de contratar alguém importante foi atingida ao trazer Sandro Wagner para fazer sombra a Lewandowski. E o ótimo Goretzka, que só estará disponível na metade do ano, também veio, para mais do que nunca comprometer as chances de Vidal na Baviera.


A questão de reforçar o elenco, por ora, deve ser esquecida. O Bayern tem um foco para este final de janeiro e ele se trata exatamente de reforçar seu futebol, mas não necessariamente com um atleta - e sim com seu atual comandante. O momento, agora, é de investir pesado na manutenção de Jupp Heynckes como treinador do clube.


Getty Images
Getty Images


Desde quando o Bayern passou a ter resultados positivos e claramente deu sinais de que se encaminhava para uma recuperação no que diz respeito à forma de jogar, em meados de novembro, Rummenigge já acenava para a possibilidade de conversar com Heynckes a respeito de uma renovação contratual pontual por mais um ano. Embora o treinador sempre desconversasse quando questionado sobre o assunto em coletivas, jamais negou a possibilidade de ficar por mais uma temporada.


Ao longo destes próximos quatro meses dificilmente haverá tempo hábil para planejar-se para a próxima temporada sem antes contar com um treinador. Esta segunda etapa da temporada será apertada justamente por Heynckes ter dado gás novo ao Bayern, o deixando em situação de título na Pokal, com o título da Bundesliga encaminhado e com novas esperanças na Champions League. Ao término de tudo isso, com ou sem estes títulos, ainda haverá a Copa do Mundo, e todos do clube estarão voltados à defesa do título alemão na Rússia.


Planejamento de temporada passa principalmente pelo treinador que ao longo dela conduzirá a equipe. Heynckes foi exatamente na contramão desse pensamento, provando ser uma solução extrema - mas acertada. Ele recuperou o bom futebol do Bayern, estabeleceu um padrão de jogo, conseguiu aproveitar ao máximo o elenco sem que algum atleta se sinta subvalorizado e, graças a isso, tem todos a sua mão. Não há o que pensar: é preciso oferecer ao treinador mais um ano de contrato, e essa conversa, se já não ocorreu, precisa ser tratada ainda ao término desse mês.


Que um encaminhamento seja dado a tempo de haver planejamento e metas traçadas, algo que na última pré-temporada passou longe de acontecer.


Siga Bruno Secco no Twitter