Bayern e o mito do predador da liga

Com a transferência de Goretzka para o Bayern confirmada, mais uma vez surgiu o já velho burburinho do chamado “Predador da Liga”. Um discurso muito conhecido, defendendo a tese de que os bávaros adotam práticas “desonestas” para acabar com a competitividade na Bundesliga e garantir sua hegemonia dentro da Alemanha.


Neste post, tentarei elucidar que essa prática de contratar jogadores de outras equipes, inclusive rivais, do mesmo campeonato não é nenhum feito digno de destaque e que isso é replicado por diversos clubes.

Para começar, também devemos deixar bem claro que, ao se reforçar, qualquer time deve pensar apenas nele e, caso os outros times não conseguem prender seus jogadores com bons contratos ou se reforçar à altura, isso jamais será a culpa do clube contratante.


Getty Images
Getty Images

Lewandowski e Götze foram duas das transferências mais polêmicas dos últimos anos


Na nossa análise iniciaremos o paralelo entre o Bayern e outros times dentro da própria Alemanha. Abaixo, temos a comparação do número de jogadores contratados dentro da Bundesliga e, entre parênteses, o valor total dessas transferências em milhões de euros. Para a comparação, selecionei os cinco times alemães com maior pontuação somando as últimas seis temporadas:


Rainer Pompermayer
Rainer Pompermayer

Tabela de transferências entre times alemães (com números arrendodados para facilitar)


Em números limpos já podemos destacar que, entre os cinco times, o que menos contratou dentro da Alemanha foi o próprio Bayern. Em gastos financeiros, os bávaros ficaram na terceira colocação, atrás de, respectivamente, Leverkusen e Dortmund. Dois fatores, dignos de destaque, que a maioria dos torcedores provavelmente desconhece.


Muitos ainda podem dizer que, mesmo com um menor número de contratações e menos dinheiro gasto, o Bayern sempre contrata jogadores dos times que ameaçam a sua hegemonia. Por isso, também levantei o número de jogadores que foram transferidos entre os cinco times acima no mesmo período:


Bayern, cinco jogadores: Goretzka, Hummels, Lewandowski, Götze e Dante.
Dortmund, seis jogadores: Dahoud, Toprak, Götze, Rode, Castro e Reus.
Leverkusen, quatro jogadores: Bender, Kampl, Papadopoulos e Can.
Mönchengladbach, quatro jogadores: Ginter, Kramer, Drmic e Hofmann.
Schalke, sete jogadores: Badstuber, Höjbjerg, Sam, Santana, Kirchoff, Barnetta e Neustädter.


Nessa lista podemos ver que o Bayern fica novamente na terceira colocação, com os cinco times com números bem similares, mostrando que a troca de jogadores entre os clubes é constante.


Getty Images
Getty Images

Götze e Rode foram alguns dos jogadores que saíram do Bayern para seus rivais na Alemanha


Claro que é importante ressaltar que a maioria dos nomes apresentados pelo Bayern é de maior destaque do que a maioria dos outros times. Porém, também é essencial falar que jogadores como Goretzka e Lewandowski vieram a custo 0 para os bávaros.


Além de, é claro, evidenciar o fato óbvio que um time como o Bayern, com mais dinheiro, maior atenção da mídia e que chega com frequência às fases mais agudas da Champions League, conseguirá atrairá nomes mais fortes para o clube.


Agora comparando o Bayern com outros times mais dominantes de outras ligas, podemos ter ainda uma nova perspectiva sobre o assunto. Para isso, selecionei PSG, Real Madrid, Barcelona e os três melhores colocados da Premier League nas últimas sete temporadas:


Rainer Pompermayer
Rainer Pompermayer

Transferências de times europeus dentro de suas próprias ligas (com números arrendodados para facilitar)


Nos valores, o Bayern fica bem atrás, na penúltima colocação, à frente apenas do Real Madrid. Em número bruto de jogadores, fica na primeira colocação, apenas um pouco à frente dos clubes de Manchester.

Se tudo isso ainda não é suficiente para acabar com esse estigma, ainda podemos falar que, ao todo, o Bayern vendeu ou emprestou a outros clubes alemães o total de 20 jogadores, enquanto contratou 16 no mesmo período.


Mesmo sendo uma prática extremamente normal um clube contratar jogadores de rivais ou equipes locais, o Bayern ainda fica na média europeia e abaixo da média dos outros principais times alemães. Ou seja, da próxima vez que for reclamar que seu time perdeu um de seus jogadores ou que a Bundesliga não está competitiva atualmente, é bom direcionar a crítica para o alvo certo.

Todos os dados de valores e jogadores transferidos foram retirados do site Transfermarkt.com 


Curta a página do blog Säbener Strasse no Facebook



Siga @sabenerstrasse e @rainer_pg no Twitter