Bayern sabe sofrer e consegue a virada contra o Sevilla

Conforme o esperado, o jogo não foi nada fácil, mas os bávaros saíram de Sevilla com a vitória e uma grande vantagem nessas quartas de final. O 2 a 1 foi justo e demonstra a experiência do time comandado por Jupp Heynckes.


Quebrando um tabu de quase 5 anos sem vencer na Espanha, o Bayern de Munique deu um importante passo para voltar às semifinais da Champions League.


Para isso, Heynckes surpreendeu na sua escalação, com Bernat na lateral, e mandou um meio campo muito mais defensivo do que sábado contra o Dortmund, com Müller e Ribery nas pontas e Martinez, Vidal e Thiago pelo centro. Provavelmente para resistir à pressão que o Sevilla tentaria impor ao jogo.


Getty Images
Getty Images

Ribery teve mais uma bela atuação, participando dos dois gols


O que não deu muito certo: tanto Vidal quanto Thiago começaram mal a partida, oferecendo pouca proteção a zaga bávara e também sem conseguir construir as jogadas ofensivas. Aliado à péssima exibição de Bernat, que começou no lugar de Alaba (lesionado), o Sevilla soube pressionar e chegou ao primeiro gol do confronto.


Porém, após a saída de Vidal, por lesão, com James Rodriguez entrando, o jogo se equilibrou. Logo na primeira participação do colombiano, gol contra de Jesús Navas depois de uma boa jogada de Ribery.


Para o segundo tempo, Heynckes tratou de resolver o problema da marcação pelo lado esquerdo e sacou Bernat para a entrada de Rafinha. Com isso, a segunda etapa foi praticamente toda do Bayern.


Getty Images
Getty Images

Mais uma vitória do Bayern, que nesta temporada não sabe o que é perder ou empatar com Heynckes na UCL


Controlando a posse de bola quase que completamente e com ampla vantagem nas ações ofensivas, o Bayern chegou à virada com um gol de cabeça de Thiago, completando um belo cruzamento de Ribery.


Apesar do início ruim do time, é um alivio ver que Heynckes conseguiu arrumar a equipe de maneira simples com apenas duas substituições. Também é ótimo ver Ribery e James jogando em alto nível e decidindo partidas - os dois serão muito importantes para o resto da temporada.


Já o lado ruim fica pela – já esperada – atuação péssima de Bernat, claramente sem ritmo de jogo e sem condições de participar de uma partida tão importante assim. Destaque negativo também a atuação de Lewandowski. O polonês teve apenas uma boa jogada ofensiva e participou muito pouco do jogo, na maior parte do tempo parecendo até mesmo um pouco desinteressado.


Getty Images
Getty Images

Motivos para sorrir é que não faltam, além da quebra do tabu, Heynckes prolongou seu recorde na competição


Com a vitória de hoje, Heynckes se isola no seu recorde com 13 vitórias consecutivas na competição. Será que o velhinho consegue prolongar essa marca ainda mais? Eu apostaria que sim.



Curta a página do blog Säbener Strasse no Facebook



Siga @sabenerstrasse e @rainer_pg no Twitter