Persistência, empate no fim e polêmicas com o VAR: Benfica e Sporting fizeram um dérbi insano

Reprodução/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

A torcida do Benfica preparou um lindo mosaico para o Dérbi frente ao Sporting. Tem que respeitar o maior campeão de Portugal...!


Passadas mais de 24 horas do apito final, ainda é difícil descrever o que foi este Dérbi Eterno para o Sport Lisboa e Benfica. A melhor definição que vi veio justamente da página oficial do clube: "um dérbi com sentido único". Tão único que é difícil arranjar palavras para tal. Talvez seja um capricho dos deuses do futebol para justificar por que este é o jogo de futebol mais apaixonante de Portugal.


O empate em 1 a 1 com o Sporting, sabemos, não foi o resultado ideal para as Águias, que agora estão a cinco pontos da liderança. Por outro lado, a massa encarnada gostou do que viu: um grupo aguerrido, dominante e com maior volume de jogo, como há muito tempo não se via contra um adversário do mesmo calibre. Basta reparar os melhores momentos do jogo. Só deu Benfica, principalmente na segunda etapa. A derrota foi evitada em cima da hora, no último minuto do tempo regulamentar, com o artilheiro Jonas convertendo pênalti. Nem nos acréscimos os donos da casa diminuíram o ritmo.


É para comemorar o resultado? Obviamente, não. Mas é para reconhecer o empenho e a boa atuação do time da Luz. Há de saber separar estes fatos e mirar a sequência do campeonato. Vem um turno inteiro pela frente.


Para além das quatro linhas, pode-se dizer que a imensa pressão pré-dérbi deixou os jogadores benfiquistas extremamente pilhados. Isto é excelente, pois, em meio às turbulências, a equipe mostrou personalidade. Uma grande virtude. É necessário que este espírito continue a ser a tônica nos próximos compromissos. A sequência é complicada: o Maior de Portugal tem pela frente duas partidas fora de casa, contra o Moreirense, pela última rodada do primeiro turno, e o Braga, pela primeira jornada da segunda volta. Entretanto, assim é o futebol: são os caminhos difíceis que constroem os campeões.


Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Jonas salvou o Benfica de um desastre de grandes proporções no Estádio da Luz e agora tem 106 gols de águia ao peito


Mesmo sem o desfecho desejado pela maior torcida da Terrinha, o Dérbi pode ajudar o SLB a fazer as pazes com os seus adeptos. O nível de futebol apresentado na última quarta-feira (3) foi trocentas vezes melhor do que as apresentações vistas na reta final de 2017, as quais colocaram o técnico Rui Vitória em maus lençóis. Velocidade, troca intensa de passes e vantagem nas disputas pelo alto: as virtudes do Tetracampeão voltaram a aparecer. A gente espera que não tenha sido somente uma miragem e que este desempenho se repita nos próximos duelos - com menos sofrimento e mais triunfos.


Os mais de 60 mil torcedores presentes no Estádio da Luz (61.996 no total) já deram o recado: quando o time mais precisar, a massa vai estar lá. Um público destas proporções, paralelamente às três eliminações (Uefa Champions League, Taça de Portugal e Taça da Liga) na primeira metade da temporada, fala por si só.


Uma reconciliação entre o escrete e a torcida é muito importante para o Glorioso continuar na luta pelo 37º título nacional.


Na bronca com o VAR


Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Chegaram a dizer em Portugal que o VAR estava de ressaca pelas festividades de Ano Novo...


Agora vamos falar de um assunto bem sério: o árbitro de vídeo. A tecnologia no futebol é essencial para combater os erros de juízes e bandeirinhas. Este que vos escreve é completamente a favor dela. Porém, na primeira temporada de utilização em Portugal, o VAR tem sido alvo de muitas críticas, principalmente de torcedores do Trio de Ferro. Para tirar a prova, basta colocar "VAR" na busca do Twitter.


Erros típicos de uma fase de adaptação? Falta de entrosamento da arbitragem com os recursos tecnológicos? Pode ser... Todavia, não devemos fechar os olhos para os lances cruciais os quais os árbitros deixaram passar no último Dérbi.


Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

É compreensível que o árbitro e o bandeirinha errem um lance milimétrico desse... Mas o VAR?! (imagem da BTV)


Os benfiquistas reclamaram de outras penalidades (além da que foi marcada e convertida por Jonas aos 45 minutos da etapa complementar) e de irregularidade na jogada do gol sportinguista, anotado por Gelson Fernandes aos 19 minutos do primeiro tempo. O atleta em posição (milimétrica, é verdade) de impedimento seria Acuña.


Criado para evitar mais polêmicas no futebol, o VAR, pelo menos em Portugal, tem provocado efeito contrário. Aí eu te pergunto: é teimosia ou despreparo dos árbitros? Ou as duas coisas?


Para ninguém dizer que estou sendo tendencioso, teve até página de torcedores do SCP reconhecendo as lambanças do VAR na Luz - lamentavelmente, existe no texto um trecho racista referindo-se ao goleiro do Benfica, Bruno Varela. E, no último Clássico entre Porto e Benfica, cuja contagem final foi 0 a 0, os portistas tiveram um gol mal anulado e pediram pênalti em uma mão de Luisão.