Benfica sobrevive ao 'inferno' de Moreira de Cónegos, mas fica devendo no primeiro turno

Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Muito caçado pela defesa do Moreirense, Jonas conseguiu se sobressair e chegou a 20 gols na liga portuguesa


Dois dias depois do quarto aniversário da caminhada do rei Eusébio para a eternidade, não se poderia exigir menos do que um triunfo frente ao Moreirense em Moreira de Cónegos. Não apenas para o Benfica se manter na cola do líder Porto e do vice-líder Sporting, mas, sobretudo, para honrar a linda história que o Pantera Negra construiu na Luz. E trazer para a massa encarnada, além do saudodismo pelo passado rico e do orgulho pelas glórias recentes, a esperança por um futuro ainda mais vitorioso.


Evidentemente, o compromisso não seria fácil. A vitória pelo placar mínimo na casa do Moreirense na temporada passada, vale lembrar, foi um dos jogos mais difíceis da caminhada do Tetra. Atual campeão da Taça da Liga, o clube do norte de Portugal vinha extremamente motivado pela sequência que o tirou da zona de rebaixamento: duas vitórias épicas, contra o encardido Vitória de Guimarães, em casa, e frente ao Desportivo das Aves, fora de seus domínios, em um confronto direto da parte de baixo da tabela. Além disso, a equipe verde e branca tirou pontos do Sporting na sétima rodada, na própria Moreira de Cónegos, com empate em 1 a 1.


Somando-se ao bom momento do adversário, vinha a necessidade de voltar a trilhar o caminho das vitórias após o empate no Dérbi de Lisboa. O Benfica merecia resultado melhor e foi prejudicado por teimosias da arbitragem no Estádio da Luz, é verdade, mas a tabela de classificação não conta "vitórias morais" - não gosto deste termo, mas vi necessidade de utilizá-lo -, então é preciso contornar tamanho prejuízo. Em suma, o panorama era perigoso para os Encarnados, cada vez mais pressionados a não perderem os líderes de vista.


Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Pizzi abriu caminho para a vitória do Benfica contra o Moreirense


Dentro das quatro linhas, as Águias começaram o jogo com a atitude necessária para buscar os três pontos. E foram premiadas aos 23 minutos, em uma linda jogada. Cervi tocou de calcanhar para Jonas, o brasileiro percebeu Pizzi livre na área e tocou na medida certa para o meia acertar um belo chute de primeira. O passo inicial para a vitória estava dado.


Entretanto, o ritmo caiu com o passar do tempo... É aí que o goleiro Bruno Varela também deve ser mencionado como merecedor das honrarias pelo resultado positivo. Aos nove minutos da etapa complementar, quando o placar ainda apontava 1 a 0, o dono da meta benfiquista fez grande defesa em cabeçada à queima-roupa de Arsênio. Um susto desnecessário, provocado pelos espaços deixados pelo sistema defensivo, problema o qual tem sido recorrente sob o comando de Rui Vitória nesta temporada.


O Benfica continuou sem empolgar. Eis que Jonas chama a responsabilidade. Fez o goleiro Jhonatan trabalhar. Depois, João Carvalho entra no lugar de Salvio para dar mais mobilidade ao meio-campo. E o garoto de 20 anos, prata da casa, mostrou que tem estrela. No primeiro toque na bola, ao se aproveitar de uma displicência de Rúben Lima, o miúdo acionou Jonas. O craque fez a festa contra André Micael e não deu chances para Jhonatan. Agora, o artilheiro da Liga está com 20 gols na presente edição do certame.


Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

'Made in Seixal': João Carvalho (20 anos) incendiou o jogo em Moreira de Cónegos e deu a assistência para o gol da vitória do Benfica


A partir daí, os donos da casa ficaram desmotivados para tentar mudar a história do jogo. E a vitória em Moreira de Cónegos estava selada. Aos trancos e barrancos, assim como na temporada passada. Com dedicatória especial para o grande Eusébio - embora o futebol não tenha sido à altura do Rei. E o time lisboeta encerra o primeiro turno da Primeira Liga de Portugal com 40 pontos (12 vitórias, quatro empates e uma derrota), na terceira colocação, a três pontos do Sporting e a cinco do Porto.


Atenção, Benfica!


Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Os comandados de Rui Vitória não podem perder fôlego na parte de cima da tabela: Portugal só terá duas vagas para a Uefa Champions League da próxima temporada


Agora, senhoras e senhores, é hora da onça beber água. No próximo sábado (13), o Maior de Portugal vai a Braga para enfrentar o time da casa, pela primeira jornada do returno. A atenção para esta partida tem de ser redobrada. O Sporting Braga venceu quatro dos últimos cinco jogos e está a apenas três pontos dos Encarnados. Se o Benfica tropeçar, pode ficar mais distante não só do título, mas também da próxima edição da Uefa Champions League. Por outro lado, ganha muita moral se sair com seis pontos desta sequência difícil de partidas longe de Lisboa.


A nova distribuição de vagas para a temporada 2018/2019 da maior competição interclubes da Europa deixou a Terrinha com apenas dois ingressos, sendo um para a fase de grupos e um para a fase prévia - informação que a ESPN adiantou em março do ano passado. Isto significa que, por tempo indeterminado, pelo menos até os lusitanos, hoje em sétimo no Coeficiente da Uefa, recuperarem o quinto ou o sexto lugar, postos atualmente ocupados, respectivamente, por França e Rússia, a Champions não contará com o Trio de Ferro de Portugal.


Os maiores beneficiados foram Espanha, Alemanha, Inglaterra e Itália, que passarão a ter quatro lugares diretos para a fase de grupos. França e Rússia terão, cada uma, duas vagas nos grupos e uma nos playoffs.


Pois é, o Sport Lisboa e Benfica terá de suar sangue neste segundo turno do Campeonato Português... Caso repita a irregularidade da primeira volta, tanto em termos de atuações quanto de resultados, terá surpresas desagradáveis lá na frente.