A relação conturbada de Talisca com o Benfica ganhou mais um capítulo

Getty Images
Getty Images

O meia brasileiro Anderson Talisca já foi peça importante do Benfica e, após o empréstimo ao Besiktas, admite a preferência pelo clube turco


No início de março, após renovar até junho de 2020 o seu contrato com o Benfica, o meio-campista Anderson Talisca, que está emprestado ao Besiktas, "soltou os cachorros" contra o clube dono de seus direitos federativos. Depois do último clássico entre a sua atual equipe e o Fenerbahçe, cujo placar final na Vodafone Arena foi uma igualdade em 2 a 2, o brasileiro afirmou, em conversa com a imprensa turca na zona mista, ter sido obrigado a estender seu vínculo com os Encarnados. O episódio foi mais um capítulo da conturbada relação entre o SLB e o jogador.


"Desde que cheguei ao Besiktas, sempre disse que não queria voltar para o Benfica e, meio ameaçado, tive de renovar contra a minha vontade", afirmou. "O Benfica iria me tirar das competições europeias e eu não queria jogar só o Campeonato Turco", completou, insinuando uma ameaça por parte dos benfiquistas. No dia seguinte, o próprio Talisca veio com outro discurso e entrou em contradição. "É mentira que eu tenha dito que fui ameaçado a renovar", disse ao jornal português Record.


O empresário do atleta, Carlos Leite, explicou a situação. "É importante esclarecer que havia um imbróglio no segundo empréstimo e tive a preocupação de ele continuar jogando nas competições europeias. Quem falou com ele fui eu. Disse-lhe que achava melhor ele renovar, para evitar um possível litígio entre os clubes e, também, porque não achava correto ele sair do Benfica sem o clube ser remunerado pelo investimento", esclareceu em entrevista ao veículo de comunicação lusitano A Bola. O agente acrescentou que as palavras da joia brasileira vieram num contexto no qual os torcedores do Besiktas ficaram chateados ao saber da renovação de Talisca com o Benfica. Os adeptos esperavam que o atual bicampeão turco o contratasse em definitivo.


Getty Images
Getty Images

Talisca se adaptou rapidamente ao Benfica e caiu nas graças da maior torcida de Portugal


Para saber como começou o descontentamento de Talisca com a agremiação portuguesa, basta voltar no tempo. Em agosto de 2016, as Águias acertaram o empréstimo do meio-campista, o qual já perdera espaço no elenco principal, ao Besiktas. Na época, segundo a agência de notícias EFE, o brasileiro lamentou a decisão do clube. "Se era o que eu desejava? Claro que não, mas o Benfica quis assim, o que eu posso fazer? Qual jogador não iria querer ficar no Benfica?", disse em rápida entrevista aos jornalistas no Aeroporto de Lisboa, a caminho da Turquia. Segundo o portal UOL, dirigentes do SLB decidiram emprestar o meia por entenderem que ele não se dedicava ao máximo em treinamentos e jogos.


Comprado junto ao Bahia, em 2014, por 4 milhões de euros (R$ 12 milhões na cotação da época), na maior negociação da história do Esquadrão de Aço, Anderson Souza Conceição, o "Talisca", não demorou a cair nas graças da maior torcida de Portugal devido à sua boa visão de jogo, ao seu excelente passe, ao seu jeito de tratar e conduzir a bola e às suas finalizações precisas tanto com a pelota rolando quanto em cobranças de falta. Foi convocado à Seleção Brasileira pela primeira vez em novembro de 2014, ainda na segunda passagem de Dunga pelo comando técnico da Canarinho. Mais do que as boas atuações, Talisca demonstrava sentir o Benfica.


No entanto, o atleta perdeu a vaga no time titular para o português Pizzi, na segunda metade da temporada 2014/2015, ainda sob o comando do técnico Jorge Jesus. Àquele momento, JJ achava Pizzi uma peça mais útil para o seu sistema de jogo.


Já em 2015/2016, na primeira temporada de trabalho de Rui Vitória na Luz, Anderson Talisca seguiu entre os reservas - nomes como Pizzi e Gonçalo Guedes estavam à frente na fila. Ao todo, o garoto nascido em 1994 entrou em campo pelo Maior de Portugal em 76 oportunidades e marcou 20 gols, sendo 11 em 2014/2015 e nove em 2015/2016. Ou seja, mesmo jogando menos de uma temporada para a outra, o meia teve números semelhantes, uma demonstração da sua qualidade.


Histórico de confusões com dirigentes do Benfica


Getty Images
Getty Images

Duas vezes campeão português pelo Benfica, Talisca hoje tem relação nada amistosa com os dirigentes do clube


Quis o destino que Benfica e Besiktas caíssem no mesmo grupo na Uefa Champions League de 2016/2017. Talisca enfrentou a equipe dona do seu passe logo na primeira rodada, no Estádio da Luz, em 13 de setembro de 2016. O contrato, diferente do que habitualmente ocorre em outros sítios, não proibia atuações do atleta contra o Glorioso. E o contexto da partida foi cruel para os lisboetas. Os Encarnados venciam os Alvinegros até os 48 minutos do segundo tempo, momento no qual o brasileiro cravou o empate em bela cobrança de falta e comemorou o gol com muita êxtase.


Depois desse encontro na Liga dos Campeões, a revelação do tricolor baiano chegou a acusar a direção benfiquista de não lhe pagar salários. "Quando a minha filha ainda tinha seis dias de vida, o clube pagou o salário de todos os jogadores, menos o meu", atacou. Contudo, de acordo com o jornal português Record e com o portal português Notícias ao Minuto, o contrato de empréstimo do jogador com o Besiktas JK atestou que o ordenado estava em dia, desmentindo as antigas declarações de Talisca.


"Com a assinatura do presente acordo, o jogador dá o seu total consentimento a todos os termos e condições aqui expressos e declara que não tem qualquer montante a receber ou a reclamar do Benfica relacionado com a época completa 2016/17 (para evitar qualquer dúvida, o Benfica não terá de pagar ao jogador qualquer montante relativo ao período de 1 de julho de 2016 a 30 de junho de 2017)", dizia o documento relativo ao primeiro empréstimo de Anderson Talisca ao Besiktas Jimnastik Kulübü.


O vazamento dos pormenores do vínculo de Talisca com o Besiktas foi duramente criticado pelos turcos. À emissora de rádio Radyospor, da Turquia, o secretário-geral do clube de Istambul, Ahmet Urkmezgil, definiu o compartilhamento do contrato como "uma atitude primitiva".


Em janeiro de 2017, houve novo ataque. Em entrevista à emissora de TV brasileira Esporte Interativo, o baiano acusou o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, de mentir sobre sua transferência. O cartola tinha dito à mídia de Portugal que o brasileiro saíra do Benfica "para ganhar mais dinheiro". "Eu ia ser vendido, não emprestado. Nem o treinador sabia. Até o Rui Vitória me disse: 'Não sabia que tu ias sair emprestado. Se soubesse, não te dispensava'. O presidente falhou comigo", desabafou. E fechou a porta para o seu primeiro time na Europa. "Posso ir a Portugal pelo contrato. Mas nem por isso eu volto (ao Benfica). Por causa do presidente e do vice-presidente terem dito que eu queria sair para ganhar mais. É uma grande mentira. Eu nem sabia que ia sair", completou. As declarações foram replicadas pelo jornal lusitano I.


Getty Images
Getty Images

Em cobrança de falta, Talisca fez gol pelo Besiktas contra o Benfica, em pleno Estádio da Luz, em 2016. Começava, ali, a troca de farpas entre o jogador e os dirigentes dos Encarnados


No mês de agosto, após a primeira renovação do empréstimo do jogador, um dos grandes destaques do último título da Superliga Turca, o Sport Lisboa e Benfica alegou que as Águias Negras não tinham efetuado o pagamento dos 2 milhões de euros (R$ 7,3 milhões naquele tempo) relativos à prorrogação do contrato. Talisca, por pouco, não regressou a Portugal. Inclusive, ficou de fora da partida contra o Konyaspor, pelo campeonato nacional, no dia 6. As informações foram do diário português O Jogo.


Mais tarde, em outubro, o jogador não escondeu o desejo de ser contratado em definitivo pelo emblema alvinegro. Com direito a apelo público ao presidente do clube, Fikret Orman. "Presidente, estou muito feliz no Besiktas. Encontrei o ambiente que sonhava e não quero regressar ao Benfica. Desejo muito que finalize a minha transferência definitiva. Se não sair, serei muito feliz aqui", declarou Talisca à imprensa da Turquia. O mandatário garantiu estar trabalhando no processo. "Ele (Talisca) não precisa se preocupar", respondeu. Ambas as aspas foram publicadas pelo jornal O Jogo. Vale lembrar que o escrete de Istambul tem de desembolsar 25 milhões de euros (R$ 100 milhões) para adquirir o meia.


Em dezembro passado, o discurso de Talisca em relação ao Benfica foi surpreendentemente mais leve. Ele admitiu a possibilidade de retornar à agremiação mais vitoriosa da Terrinha, embora não acredite em tal desfecho. "O regresso é improvável por tudo o que tem acontecido, é verdade, mas nada na vida é impossível. Tenho muito carinho pelo clube e sei que muitos torcedores também têm muito carinho por mim", pontuou em entrevista ao jornal Record.


Antes, em novembro, durante conferência de imprensa, as Águias foram colocadas na berlinda novamente. "Tive uma passagem boa no meu primeiro ano, porém acabei sofrendo com queda de rendimento", recordou a joia do Bahia. "Mas também sofri algumas injustiças. O problema não é o Benfica. São os treinadores, que não dão oportunidades a todos. E isso aconteceu comigo. Acho que, se tivesse as oportunidades que estou tendo agora no Besiktas, eu poderia estar bem melhor no Benfica do que no começo (da passagem por Portugal)", encerrou, em tom de indignação. As palavras foram veiculadas pelo site Mais Futebol, de Portugal.


Problemas no Besiktas


Getty Images
Getty Images

Discurso curto e grosso do técnico do Besiktas em pré-temporada fez parte da consolidação de Anderson Talisca na Turquia 


As estatísticas de Anderson Talisca pelo Besiktas são muito boas. Em sua segunda temporada pelo time preto e branco, acumula 32 gols (15 desta temporada mais 17 da passada) em 66 jogos. O último saiu neste sábado (10), na vitória frente ao Gençlerbirliği, em casa, pelo placar mínimo. As Águias Negras estão em segundo lugar na Super Lig, com 50 pontos, três a menos que o líder Galatasaray.


Recentemente, o Blog Ora Bolas, do portal multinacional Goal, apontou que o técnico da Seleção Brasileira, Tite, avalia a possibilidade de convocar o baiano de Feira de Santana. Pode escalá-lo numa posição mais avançada, a de centroavante, como fez com Diego Souza, ex-Sport e hoje no São Paulo, em partidas anteriores, acrescenta o jornalista Bruno Andrade.


Mas se engana quem pensa que tudo foram flores para o "brazuca" em território turco. Em julho de 2017, o atleta não se reapresentou ao clube no início da pré-temporada e irritou o treinador Senol Gunes. "É nosso jogador e ainda não se apresentou. Isso é errado. Ele está desrespeitando a si mesmo e ao seu trabalho. Vai ser multado por isso, lógico. Foi autorizado a ficar mais tempo de férias por causa da doença da mãe, mas não retornou na data combinada. Pode ser bom jogador e ter qualidades acima da média, mas tem que respeitar os colegas", criticou em entrevista coletiva.


"Foi por conta de problemas como este que o Benfica o deixou sair. Talisca tem que se questionar e pensar na atitude que está tomando. Se alguém quer jogar, tem que treinar. Jogador que não treina também não joga", concluiu o técnico. O depoimento foi publicado pelo portal lusitano Futebol 365.


Como será o desfecho desta grande novela?


Getty Images
Getty Images

O futuro da estrela do Besiktas ainda é incerto


Particularmente gosto muito do futebol de Talisca, pelas qualidades aqui mencionadas. Penso, inclusive, que o meio-campista já poderia ter sido convocado à Seleção Brasileira, levando em consideração as sucessivas presenças de nomes hoje presentes em centros como China e Ucrânia. O nordestino se adaptou rapidamente ao Benfica, tendo sido peça importante para o Bi e tendo participado do Tri (ganhou, ainda, duas Taças da Liga e uma Supertaça), e vem de duas grandes temporadas pelo Besiktas, também com título na bagagem.


Entretanto, conforme já foi apresentado, os atritos entre o jogador e o clube português dificultam um hipotético retorno à Luz. As contradições do jovem de 24 anos em diversas declarações, em especial na última, aumentam este desgaste. É uma pena, pois se trata de alguém que poderia fazer parte da galeria de brasileiros eternizados no Glorioso, tomando como exemplos Otto Glória (técnico multicampeão), Luisão (jogador que mais levantou taças pelo clube), Amaral (ele não conquistou títulos pelo Benfica, mas o seu carisma conquistou a torcida), Isaías (o "Profeta") e Jonas (o "Pistolas"). Se o regresso à Terrinha não é da vontade de Anderson Talisca, tamanho investimento, portanto, seria arriscado. Além disso, a concorrência no setor de meio-campo seria pesada, contando com nomes como Pizzi, Cervi, Rafa Silva, Zivkovic, Krovinovic, Salvio, João Carvalho e Diogo Gonçalves.


As especulações mais recentes colocam o brasileiro na mira de vários clubes. O jornal português Correio da Manhã falou de uma sondagem do Changchun Yatai, da China - recusado por Talisca, ainda segundo a fonte. O Goal o coloca na mira do Monaco, enquanto o jornal turco Milliye banca um interesse do Wolverhampton, da segunda divisão inglesa. Resta-nos esperar para ver como o Benfica e o Besiktas responderão a tantos alardes.


Mesmo envolvendo Brasil, Portugal e Turquia, estes acontecimentos parecem mais uma novela mexicana cheia de vai-e-vem e interrogações.