Benfica não jogou para ser campeão e pagou muito caro pela falta de ousadia

Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Benfica perdeu o Clássico em casa e viu a liderança escapar pelos dedos


É triste admitir que o Sport Lisboa e Benfica mereceu ser derrotado pelo maior concorrente ao título em seus domínios, diante de mais de 60 mil torcedores. Por falta de ambição. Por falta de ousadia. Pela queda brusca de rendimento da primeira para a segunda etapas. Por uma péssima estratégia de seu treinador. É difícil acreditar no gol desperdiçado por Pizzi, frente a frente com Casillas, no final do primeiro tempo. No chute que Herrera acertou de fora da área, já perto do apito final. No lance o qual poderia resultar em pênalti para o SLB, nos acréscimos. Na classificação, que já não mostra o Glorioso em primeiro lugar...


Verdade seja dita: o Benfica, mesmo tendo a liderança em mãos até ontem, não jogou para ser campeão. Foi superior nos 45 minutos iniciais, é verdade, mas se resguardou na outra volta do relógio. E pagou muito caro pela mudança de postura provocada por Rui Vitória. No início do segundo tempo, o técnico tirou os dois pontas mais ativos da equipe, Rafa Silva e Cervi, e colocou, respectivamente, um jogador fora de ritmo, Salvio (não que com ritmo ele seja bom jogador...), e um volante, Samaris (ou seja, retranca!). Na reta final, acionou Seferovic, atacante de origem, para fazer a função do meio-campista Pizzi, que ajuda na armação e na marcação. Dá para acreditar?! A ausência do artilheiro Jonas, lesionado, pode ter sido o "fiel da balança" no embate. No entanto, não é desculpa para o que aconteceu.


Com estas modificações, o time da Luz chamou o adversário para o seu campo de defesa. E sofreu a derrota da pior forma possível, com gol no finalzinho. Quem tem de ser responsabilizado por este contexto desastroso? O mister da área técnica, é lógico. Para se fechar desta maneira num clássico em casa, onde só poderia se pensar em vitória, talvez ele ainda não tenha noção de que treina o maior clube de Portugal, e não algum time da parte de baixo da tabela do Campeonato...


Reprodução/SL Benfica
Reprodução/SL Benfica

A torcida do Benfica fez a sua parte. A equipe, infelizmente, não


Em três temporadas à frente dos Encarnados, Rui Vitória nunca venceu o rival azul e branco do Norte. Agora, são três empates e três derrotas em seis jogos. E o que falar da entrevista coletiva pós-jogo? "Já estivemos em situação pior", disse o comandante. Isto não incentiva ninguém, sinceramente.


Não esqueçamos, também, da diretoria. Lembram-se de André Horta, Carrillo e Mitroglou? Poderiam ser muito úteis em um jogo tão desgastante física e mentalmente quanto este. Mas a alta cúpula preferiu se desfazer deles, por empréstimo ou por venda. Além do mau planejamento para a temporada, nota-se uma tremenda passividade frente aos péssimos resultados de 2017/2018: eliminações precoces na Uefa Champions League, na Taça de Portugal e na Taça da Liga; e, agora, a liderança da Primeira Liga de Portugal escapando pelos dedos. Os dirigentes devem satisfação à torcida. O revés deste domingo (15), portanto, vai para a conta dos cartolas e do treinador bancado por eles.


Não vou falar de "erguer a cabeça", "juntar os cacos", "seguir em frente", "sacodir a poeira"... Clichês não resultam em nada. Entretanto, existe outra alternativa além de pensar somente nos quatro compromissos restantes? O Benfica sofreu uma derrota de doer a alma e já não depende mais de si para chegar ao 37º título nacional. Contudo, em respeito à história vitoriosa do clube e a todas as pessoas que a defendem com unhas e dentes, a equipe não pode dar o braço a torcer nesta briga, ainda que a massa encarnada esteja nitidamente desmotivada.


Divulgação/SL Benfica
Divulgação/SL Benfica

O que fazer agora? Esperar e torcer. Todos por um, sempre


Estacionados nos 74 pontos, os lisboetas têm pela frente o Estoril, na Amoreira, o Tondela, na Luz, o Sporting, no Alvalade, e o Moreirense, na Luz. A tabela, comparada à dos rivais, é teoricamente mais difícil. O Porto (76 pontos) vai encarar Vitória de Setúbal (casa), Marítimo (fora), Feirense (casa) e Vitória de Guimarães (fora). O Sporting (71), além do Dérbi Eterno de Lisboa na penúltima rodada, medirá forças com Boavista (casa), Portimonense (fora) e Marítimo (fora). O Braga (68), que corre por fora, também terá de lidar com um roteiro complicado, onde os adversários serão Marítimo (casa), Belenenses (fora), Boavista (casa) e Rio Ave (fora).


O que fazer agora? Esperar, torcer... E arranjar motivação sei lá de onde.