Na bacia das almas: Benfica vence nos acréscimos e afunda o Estoril

João Paulo Trindade/SL Benfica
João Paulo Trindade/SL Benfica

Benfica suou para vencer o lanterna Estoril e não pode ficar satisfeito com a atuação


Uma vitória nos acréscimos normalmente é muito comemorada. E se for na reta final do campeonato nacional? Ora, mais um motivo para festejar. No entanto, o triunfo do Benfica frente ao Estoril no último sábado (21), na Amoreira, teve outros ares. Não somente pela ressaca moral provocada pela derrota no último Clássico, que tirou os Encarnados da liderança, colocou o arquirrival azul e branco na ponta da tabela e aumentou a série negativa do técnico Rui Vitória nos chamados "jogos maiores", mas também pelas circunstâncias da partida.


Vocês acreditam que o treinador do Sport Lisboa e Benfica, o clube mais vitorioso de Portugal, retrancou o time contra o último colocado da Liga?! Rui Vitória acionou os mesmos substitutos segunda etapa do embate com o Porto na Luz. Salvio, Seferovic e Samaris preencheram as respectivas vagas de Cervi, Pizzi e Raúl Jiménez. A única diferença era que, em vez de Raúl, foi Rafa Silva quem saiu no jogo passado. Se esta estratégia não deu certo naquela que pode ter sido a partida-chave para a definição do campeão português, por que utilizá-la diante do lanterna? Não dá para entender.


Quando o Glorioso saiu na frente, logo aos 10 minutos, com Rafa, parecia que o time iria deslanchar. A desvantagem no confronto direto com o primeiro colocado e a necessidade de secá-lo para erguer a taça são irreversíveis, então era necessário, ao menos, jogar pela honra e fazer saldo. Os benfiquistas presentes no Estádio Antônio Coimbra da Mota não hesitaram no apoio, mesmo com o resultado negativo do domingo anterior (15). Transpareciam a dose mínima de esperança por um final feliz no Campeonato.


João Paulo Trindade/SL Benfica
João Paulo Trindade/SL Benfica

Rafa Silva abriu caminho para o triunfo do Glorioso na Amoreira


Eis que, surpreendentemente, os visitantes tiram o pé do acelerador e permitem a pressão do Estoril Praia. Jogos deste calibre não costumam ser fáceis devido ao desespero do adversário para fugir do rebaixamento e à motivação deste por enfrentar um gigante do futebol mundial, é verdade. Por outro lado, era nítido: o SLB poderia se apresentar melhor. E Allano, o inferno da defesa lisboeta durante os 90 minutos, chegou a balançar as redes aos cinco minutos do segundo tempo.


Contudo, o lance, daqueles milimétricos, foi anulado pelo árbitro de vídeo, fato o qual não abalou os Canarinhos. Treze minutos mais tarde, Halliche se antecipou a André Almeida, finalizou entre as pernas de Bruno Varela e deixou tudo igual. Mais tarde, os estorilistas acertaram a trave. Pareciam eles os postulantes ao título...


E veio aquele desespero de quem não podia deixar os três pontos escorregarem das mãos. Rafa Silva parou no goleiro brasileiro Renan Ribeiro duas vezes. A consequência da afobação, além destas incríveis chances desperdiçadas, foram inúmeros passes errados e finalizações longe da meta.


João Paulo Trindade/SL Benfica
João Paulo Trindade/SL Benfica

Salvio entrou no segundo tempo e anotou o gol da vitória nos acréscimos


O sonho do Penta, que já não era nada fácil de se concretizar, aparentava estar ainda mais distante... Até que, aos 47 minutos, Grimaldo cruzou pela esquerda e Salvio cabeceou para o fundo das redes. O Benfica recuperou a dianteira e afundou o Estoril. É, Rui Vitória, foste salvo desta vez...


Triunfo merecido? Pela persistência depois de ceder o empate, sim. Pela postura durante boa parte do jogo, nem tanto. A relevância deste placar de 2 a 1 para as pretensões dos comandados de RV no certame talvez seja mínima. Ou nula. O baque da rodada passada ainda não cicatrizou. Quando vai? Não se sabe. Para os mais otimistas, a vitória na Amoreira pode ser o resultado da esperança. O time tem de continuar correndo atrás daquela luz no fim do túnel. É o que resta. No sábado (28), na Catedral, tem o próximo desafio: o Tondela, que jogará para assegurar sua permanência no primeiro escalão da Terrinha. Mais uma pedreira na rota.