Benfica vence Fenerbahçe, mas não pode se deslumbrar com a vantagem que levará à Turquia

Reprodução/SL Benfica
Reprodução/SL Benfica

Benfica larga na frente na eliminatória contra o Fenerbahçe, pela terceira fase preliminar da Uefa Champions League 2018/2019


O Sport Lisboa e Benfica iniciou nesta terça-feira (7) a sua trajetória na temporada 2018/2019 do futebol europeu. A caminhada começou com uma partida com ares de final, contra o Fenerbahçe, no Estádio da Luz, pela primeira mão da terceira fase preliminar da Uefa Champions League. Quase 60 mil vozes empurraram o Maior de Portugal rumo ao triunfo pela margem mínima, garantido pelo gol de Franco Cervi, aos 24 minutos da etapa final. Foi uma vitória magra, é verdade, mas o resultado também representa uma vantagem muito importante para as pretensões do Glorioso, sobretudo porque a equipe não sofreu gols em casa, fato que importa muito em eliminatórias com regra do gol qualificado.


Mesmo à frente na disputa, os Encarnados não podem perder o foco. A torcida do Fenerbahçe promete fazer uma pressão acima da absurda no caldeirão do Estádio Şükrü Saracoğlu, no jogo da volta. A partir deste cenário, pode-se ter mais noção de como foi importante não ter sido vazado em seus domínios: caso balance as redes em Istambul, o Benfica obrigará os donos da casa a vencerem por dois gols de diferença. A atenção para um compromisso deste calibre deve ser redobrada. Antes da decisão na Turquia, vale lembrar, tem a estreia na I Liga, um compromisso muito complicado com o Vitória de Guimarães, também em Lisboa, na sexta-feira (10). Por isso, nada de festa pela vitória nesta terça. O trabalho tem de continuar.


Três novidades chamaram a atenção na escalação armada por Rui Vitória para o duelo na Luz. Depois de passarem boas impressões na pré-temporada, o goleiro Odysseas Vlachodimos e o ponta-esquerda Gedson Fernandes apareceram entre os titulares. Agradáveis surpresas, de fato. Por outro lado, a principal referência técnica da equipe, o atacante Jonas, não foi relacionado para o embate. Em seu lugar ficou Facundo Ferreyra. Consequentemente, os rumores sobre a saída do brasileiro aumentaram.


A diretoria, no entanto, tenta abafar essas especulações. Em entrevista à BTV - Benfica TV, o presidente Luís Filipe Vieira foi enfático: "Queremos que Jonas se mantenha conosco. Estamos disponíveis para renovar o contrato. Não temos pretensões de que saia algum jogador do Benfica". O vínculo do "Pistolas" com o SLB expira em junho de 2019.


Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Franco Cervi fez o coração da Luz bater mais forte


A partir do momento em que a pelota rolou nas quatro linhas, viu-se um Benfica que esbarrava na pobreza de ideias, problema recorrente na temporada passada. A equipe tinha um esquema tático legível: defendia-se no 4-5-1, com Salvio e Cervi ajudando na recomposição, e atacava no 4-3-2-1, com Salvio e Cervi abertos nas pontas. Mesmo assim, os mandantes aparentavam não saber o que fazer quando tinham a posse de bola. Não se via uma jogada trabalhada, tampouco ocupação de espaços no setor ofensivo. O jogo estava do jeito que o Fener queria. Contudo, os turcos não se arriscavam lá na frente. Pareciam satisfeitos com o 0 a 0.


Parêntese importante: mesmo jogando mal na etapa inicial, o Glorioso teve pênalti não marcado ao seu favor logo no primeiro minuto, quando Cervi, que recebera cruzamento de Gedson e estava em condições de balançar as redes, foi puxado por Isla dentro da área. O árbitro surpreendentemente não marcou nada, e a torcida ficou na bronca.


No segundo tempo, a entrada de Nicolás Castillo no lugar de Ferreyra deu mais mobilidade ao ataque benfiquista. E Franco Cervi, um dos grandes protagonistas da partida, ao lado do "xerifão" Fejsa, foi justamente premiado com um gol. Aos 24 minutos, o argentino Salvio entrou na área e viu o compatriota no outro lado, em condições de fazer uma boa jogada. Pois bem: mesmo entre dois defensores, Cervi encontrou uma brecha e surpreendeu o goleiro Demirel com um chute preciso. Já lá estava o primeiro gol das Águias na temporada.


Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

O gol de Cervi, que deu a vitória ao Benfica diante do Fenerbahçe, rendeu até trocadilho em manchete de jornal


Depois, a chegada de Zivkovic para a vaga de Salvio aumentou o poderio ofensivo do time e melhorou consideravelmente o rendimento dos Encarnados. Dessa forma, Castillo ganhou mais opções para servi-lo. E parou duas vezes em Demirel. Uma pena. Tomara que essas chances desperdiçadas não façam falta daqui a uma semana.


Vocês certamente estão estranhando a falta de menção aos visitantes nesta narrativa. Pois é, o desempenho do Fenerbahçe, pelo elenco e pelo potencial que tem, foi decepcionante. Levou perigo somente nos acréscimos, em finalização de Alici que passou rente à trave. Ali foi dado o recado: nada está ganho. Esperamos que os erros sejam corrigidos e que a história em Istambul tenha um desfecho feliz.