Boca 2-0 Arsenal: um ano de liderança

Após duas derrotas consecutivas, o Boca subiu ao relvado de La Bombonera pressionado. Não pelas derrotas em si, mas para se manter na liderança da Superliga e espantar qualquer tipo de crise. Jogar sem a espinha dorsal da equipe não foi nada fácil. A linha Goltz-Gago-Pérez-Benedetto não esteve presente. Mesmo assim, a vitória veio sem dificuldades.


Com domínio quase que total da posse de bola e das ações, o Boca aparentemente não precisava fazer muito para vencer o Arsenal. De fato, o clube de Sarandí (que escapou da queda por um milagre na temporada passada) é o pior time do campeonato. No juegan a nada. São candidatíssimos à B. E até por isso um Boca cheio de desfalques conseguiu fazer 1 a 0 ainda no primeiro tempo. Jogando pouco, o time parecia depender 100% de Nández e, principalmente de Cardona. E foi dos pés do camisa 10 que saiu o centro para Vadalá marcar seu primeiro gol jogando no Templo. O jovem de 20 anos é uma promessa xeneize.


A partida se desenhou com facilidade também na segunda etapa. O time do Viaducto não tinha nada a oferecer. Ainda assim o Boca levou um susto em chute que passou próximo da trave de Rossi. Em ritmo mais lento, Cardona era o único que tentava algo de diferente. E foi o Colombiano que, se vestindo de Riquelme, guardou de canhota, no ângulo do arquero. 2 a 0 e fatura liquidada.


O Boca está há 352 dias como líder na Argentina. Este foi o último jogo em La Bombonera em 2017. No último jogo antes da pausa de verano, ainda visitaremos o Estudiantes, em La Plata. Jogo difícil, mas o ideal é, obviamente, vencer para cumprir um ano como líder e se preparar para o restante da temporada e para a Copa Libertadores do ano que vem.