Qual Buffarini o Boca contratou?

Buffarini era, há algum tempo, desejo de boa parte da torcida do Boca. Ou pelo menos desde que Peruzzi simplesmente parou de jogar. Desde Ibarra que ninguém carrega a camisa 4 do Boca com autoridade.


Ramiro Furquim/Agif/Gazeta Press
 Ramiro Furquim/Agif/Gazeta Press

A torcida espera que Buffarini renda como no San Lorenzo


No atual elenco temos Peruzzi, que veio do Catania por uma grana. Muito por conta do que tinha jogado no Vélez e de ter, inclusive, sumido com Neymar em jogos da Libertadores. E apesar de alguns jogos bons no primeiro ano e ter conquistado títulos, o jogador foi perdendo confiança e se tornando um dos pontos fracos do time. Deve deixar o elenco em breve. Jara assumiu o posto e passou a render. Mas, como nem tudo é flores, se lesionou e o Boca precisou voltar ao mercado.


A aposta foi logo Buffarini. Mas a dúvida é saber de qual Buffarini estamos falando. Quando jogava no Talleres e no Ferro, era um ponta de velocidade, de partir pra cima dos laterais com uma fome de dar inveja. Quando veio pro San Lorenzo, foi adaptado à lateral direira e se tornou um dos jogadores mais desequilibrantes do futebol argentino. Como era ponta e tinha velocidade, era um lateral moderno que tinha facilidade para apoiar o ataque e ainda folêgo pra voltar e ganhar dívidas, fazer desarmes com carrinhos de fazer o torcedor gritar. Campeão da Libertadores de 2014, evoluiu muito com Bauza. Até que desembarcou em São Paulo.


Em dois anos jogando no Brasil, nunca mais foi o mesmo. Nem desequlibrante na frente nem confiável atrás. Sabemos que nem sempre um jogador consegue se adaptar a outro modelo de jogo, mas é nítido que Buffarini ganhou algum peso e se tornou menos intenso. Com quase 30 anos, estamos contratando um jogador decadente ou que, com mais experiência, poderá ser peça fundamental na Libertadores?


Centurión foi um exemplo que não se adaptou ao São Paulo, mas brilhou no Boca. Temos de ter essa esperança. O valor da transferência não foi alto (menos de 2 milhões de dólares por 80% do passe) e por isso vale arriscar.


A torcida vai recepcioná-lo e apoiá-lo como sempre faz. Mas não tenho tanta confiança. Principalmente porque não sei qual Buffarini contratamos.