Boca 1-0 Temperley: todo ano é carnaval

"Que gane Boca oh oh, que gane Boca oh oh, que gane Boca y todo el año es carnaval..."


E assim canta a torcida xeneize. O time mais popular da Argentina, segue fazendo a festa. Ontem, contra o Temperley, em La Bombonera, mais uma vitória, mais três pontos, mais líder do que nunca.


O jogo em si não foi nada bom. A verdade é que o Temperley - apesar de não oferecer perigo - defendeu-se bem e o Boca não teve criatividade suficiente para furar a defesa do Gasolero. Em partida fraca de Tevez, Pavón e Bou, o gol tardou em sair e só veio de um cruzamento errado de Fabra que se transformou em um "golaço".


A verdade é que times campeões também são feitos disso. De vencer jogos ruins. De conquistar os três pontos na base da vontade e do peso da camisa. E este Boca teve isso.


Por mais que parte da imprensa critique em alguns momentos, os números do Boca de Guillermo Barros Schelotto é assombroso. Algo que poucas equipes ao longo da história conseguiram.


O time alcançou 427 dias como líder do futebol argentino. Foi o campeão na temporada 2016/2017 e está na ponta da Superliga 17/18 desde a primeira fecha. São exatamente 33 rodadas na frente dos rivais. Além disso, fez 75 dos 99 pontos possíveis. Sem contar que foi o time que mais marcou gols e o que menos sofreu. Teve, no ano passado, o artilheiro do campeonato (Benedetto) e o mesmo camisa 9 segue na liderança deste mesmo não jogando há meses por lesão.


Outro dado curioso, é que o Boca alcançou a vitória de número 200 jogando em casa neste século. Os outros que vem logo atrás são San Lorenzo e Estudiantes (172 jogos), River (171) e Lanús (170). Uma diferença considerável. Não à toa, La Bombonera vence jogos.


É um domínio nacional quase que absoluto neste momento. Ainda assim, é preciso ter atenção e somar o máximo de pontos possíveis, pois vem ai a Supercopa diante do River e a Copa Libertadores. O calendário ficará mais apertado e tudo que nós queremos é que o carnaval continue o ano todo.