Boca 4-2 Ind. Medellín: esse time me ilude

Neste final de semana, o Boca jogou seu primeiro amistoso oficial de pré/intertemporada. Em Boca Ratón, o time comandado por Guillermo Barros Schelotto estreou o novo uniforme e as novas contratações diante do tradicional Independiente Medellín, da Colombia.


Prensa Boca Juniors
Prensa Boca Juniors

Mauro Zárate: o delantero promete ser um dos destaques do time


Apesar de um começo estranho (gol deles com 2 minutos de jogo), o Boca foi para cima e logo virou a partida com gols de Mauro Zárate, Villa e Almendra. O primeiro mostra-se a cada dia que será não só fundamental, mas um diferencial. O ex-atacante de Lazio, Inter e Vélez é diferenciado. Tem drible, passe, finalização, ocupação de espaços. É um atacante completíssimo. Já o colombiano Villa - que acabou de chegar do Tolima - foi uma grata surpresa. Típico jogador cafetero, tem muita velocidade e é um jogador agudo. Características semelhantes a de Pavón. Já Almendra é uma promessa das melhores. Se jogar o que sabe, brevemente estará no futebol europeu. Um diamante a ser lapidado.


No segundo tempo, com várias substituições, o jogo perdeu tecnica e taticamente. E tudo o que o Boca fez de bom lá na frente, sofreu atrás. A defesa se posicionou mal durante muitas ofensivas do time colombiano e, com a fraca marcação em zona, sofreu nos cruzamentos. O DIM diminuiu em uma dessas bolas onde falta ordem e entrosamento.


Já no final do jogo, em saída de bola errada do adversário, rápida recuperação e gol de Carlitos Tévez. Que apesar de ser a grande estrela, me parece que hoje é menos jogador que os concorrentes da posição. Sem deixar de ser um jogador de jerarquia, talvez seja mais inteligente que jogue menos minutos - e que assim possa ser mais decisivo.


O Boca contratou bem e, por vezes, demonstra potencial para jogar maravilhosamente bem. É um time que nos ilude. Esperemos não ficar só por ai, na ilusão.