Na estreia de Batshuayi, Schürrle é quem salva o Borussia Dortmund

A primeira vitória do Borussia Dortmund em 2018 veio com o tradicional sofrimento. Fora de casa, o time superou o Köln por 3 a 2 com gols de Michy Batshuayi (2) e Andre Schürrle. Simon Zoller e Jorge Meré descontaram.


Como tem sido sob o comando de Stöger, o time não teve uma atuação segura. O preocupante é que o adversário dessa semana foi o lanterna do campeonato, que não perdia há quatro partidas, mas que desde o início da Bundesliga tem protagonizado partidas terríveis. O Dortmund sofreu bastante para superar o pior time da liga.


Getty Images
Getty Images

Mais do que o gol decisivo: Schürrle teve uma excelente atuação


A sorte de Peter Stöger foi contar com o brilho do estreante Batshuayi, que com dois gols e uma assistência decidiu a favor do Borussia. Schürrle conseguiu balançar as redes no Campeonato Alemão pela primeira vez desde março de 2017 e decretou a vitória. Ao lado da dupla de atacantes, Jeremy Toljan, absoluto na lateral-esquerda, foi o outro destaque do time.


Acontece que, apesar dos destaques, os problemas ainda foram maiores. A defesa do Borussia Dortmund voltou a se mostrar altamente vulnerável a qualquer ataque com o mínimo de vontade (leia-se: não precisa nem ser muito organizado para levar perigo ao gol de Bürki). Roman falhou no lance do gol; Sokratis e Toprak seguem sem se entender e o grego precisa sair do time com urgência. Por incrível que pareça, Ömer é atualmente o zagueiro mais seguro do elenco atualmente


No meio-campo chama a atenção a queda de rendimento de Weigl. Privilegiado pelo sistema de jogo de Tuchel, sendo o responsável pela transição, parece cada vez mais isolado e perdido entre as funções de construtor e volante destruidor. É uma crise de identidade ainda não muito preocupante, mas a perspectiva é de que isso só se resolva na próxima temporada - e depende de quem será o novo técnico.


Mo Dahoud recebeu nova oportunidade e não rendeu o esperado. Não dá para saber se joga só uma vez por mês porque quando entra em campo entra em desespero e quer fazer tudo sozinho, ou se quer fazer tudo sozinho porque sabe que só tem uma oportunidade por mês. Ainda acho que a sequência pode ajudar o meia, mas é fato que não foi bem.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Eficiente e produtivo, Michy Batshuayi teve uma estreia perfeita


Exposto aos contra-ataques, o Dortmund deu sorte ao não ser mais agredido. Isso porque o Köln é mesmo um time fraco e que vai lutar contra o rebaixamento até o final do campeonato. Peter Stöger precisa corrigir a defesa, que sofreu gols em todas as partidas do ano. Nem que isso signifique o retorno dos três zagueiros; por enquanto, acredito que a entrada de Akanji seja um teste necessário e suficiente para resolver parte dos problemas.


No ataque, Michy foi importante porque deu opções ao conjunto, coisa que Aubameyang não conseguia fazer. Forte, mas com leitura de jogo, contribuiu para a boa movimentação de Schürrle e Pulisic. André Schürrle foi a grande surpresa porque até agora tinha sido apenas inútil, mas contra o Köln teve uma partida brilhante. Destaque inesperado, deve ter surpreendido até a si mesmo. Mas não acho que ainda tenha salvação.


Os três pontos conquistados fora de casa ajudam a manter a invencibilidade do novo técnico sob o comando do Borussia na liga (perdeu apenas na Pokal para o Bayern). Stöger ainda tem muito trabalho para recolocar o time nos trilhos e acho que a classificação para a Champions é alvo difícil. O Borussia ainda precisa melhorar muito para conseguir a meta da temporada.



Curta a página do blog Muralha Amarela no Facebook


Siga @muralhaamarela e @wpaneque no Twitter