Volta Redonda 1-1 Botafogo: desatenção que custa caro

O torcedor que ignorou o domingo ensolarado do Rio de Janeiro e sentou na frente da TV para assistir o Botafogo teve uma surpresa um tanto quanto desagradável. Precisando da vitória para entrar na última rodada da Taça Rio dependendo apenas de si mesmo para obter a classificação, o Alvinegro começou o jogo dormindo, saiu atrás e não conseguiu reverter o tropeço. 


Desligado, displicente e desnecessariamente exposto, o Bota perdeu o meio-campo para o fraquíssimo time do Volta Redonda durante quase todo o primeiro tempo. Errando lances bobos na saída de jogo, o time flertou com o azar até entregar a paçoca e sair atrás no placar em bonito chute da nossa cria Mauro Gabriel - que caminhou livremente da linha central até a entrada da área, até finalizar com precisão. 


O gol começou a despertar o time, que lembrou que precisava jogar para fazer valer sua superioridade técnica e resolveu ir para o ataque com alguma organização. Quinze minutos depois do gol sofrido e dez antes do intervalo, Rabello subiu mais que todo mundo e empurrou a bola para as redes, igualando o marcador e devolvendo de vez o Glorioso ao jogo. 


Vitor Silva / SSPress / Botafogo
Vitor Silva / SSPress / Botafogo

Moisés foi um dos melhores do Botafogo na partida deste domingo


No intervalo, a palestra de Valentim surtiu efeito e o grupo voltou a mostrar a evolução que vinha desenhando nas últimas partidas. Com o jogo estruturado desde a saída de bola, as atuações individuais melhoraram e, consequentemente, o coletivo sobressaiu. Pressionamos, criamos diversas chances, esmagamos o Voltaço em sua área - mas esbarramos na falta de sorte e nas boas defesas do goleiro Douglas Borges. 


Apesar da atuação animadora na segunda etapa, o resultado foi novamente frustrante. Empatar com um dos piores times do campeonato e não depender apenas das próprias forças na última rodada aumentaram a importância do clássico contra o Vasco. Precisaremos de superação, já que ainda não vencemos os grandes em 2018. Bom desafio para Valentim deslanchar de vez. 


Nos vemos no Niltão no próximo domingo!


Notas


Gatito Fernández: 7
Quando exigido, fez excelente intevenção em chute de longe. Praticamente assistiu ao restante da partida. 


Marcinho: 4
Não acompanhou a evolução da equipe na segunda etapa e teve sua pior atuação desde que assumiu a lateral. Muitos passes errados e decisões equivocadas no campo de ataque, além do espaço deixado lá atrás. 


Marcelo: 6
Poderia ter tentado abafar o chute no lance do gol, mas a falha foi coletiva, expondo a defesa. No restante do jogo, foi seguro e ajudou na saída de bola.


Igor Rabello: 8,5
Seguro na zaga, chegou bem ao ataque e marcou dois gols; um deles, corretamente anulado. Além disso, ajudou até na organização do jogo, com bons passes e até uma boa arrancada pela esquerda. Ótima partida.


Moisés: 8
Não foi muito bem no primeiro tempo, mas tornou-se a melhor opção ofensiva na segunda metade do jogo. Ótimas subidas pela lateral, com bons cruzamentos, tabelas e finalizações perigosas. Tem crescido bastante. 


Rodrigo Lindoso: 4,5
Dormindo no início da partida, colaborou bastante para o imenso buraco em nosso meio-campo. Não recuperou-se no segundo tempo. Ainda não deu as caras nesta temporada. 


João Paulo: 6
Apesar da briga de sempre, não repetiu as boas atuações da temporada. Deu bobeira no gol e perdeu a bola na origem do lance. Não conseguiu guiar o meio-campo como vem fazendo. 


Rodrigo Pimpão: 4
Não consegue emplacar uma boa sequência. Hoje, errou tudo o que tentou e foi substituído no intervalo. 


Leo Valencia: 7,5
Boa assistência para o gol de Rabello, embora apagado no 1º tempo. Na segunda etapa, cresceu bastante - inclusive jogando aberto pela esquerda, na função de Pimpão. Muito participativo na segunda etapa, com bons passes, tabelas e jogadas individuais. Se jogar sempre com a desenvoltura de hoje, tem tudo para crescer. 


Ezequiel: 5,5
Tentou algumas arrancadas pela direita, mas não obteve muito sucesso. Em seu melhor lance, quase fez um bonito gol ao driblar o goleiro com a bola no ar, mas não conseguiu finalizar. 


Kieza: 5
Hoje, foi apagado. Ainda assim, quase fez um gol - mas o goleiro desviou a bola providencialmente. Sua colocação na área é quase sempre muito boa, mas hoje não conseguiu receber o passe final. 


Marcos Vinicius: 7
Entrou e melhorou a organização do meio-campo. Ainda assim, é inconstante dentro da partida. Precisa de mais consistência para conseguir ganhar uma sequência. 


Luiz Fernando: 6
Em uma arrancada e uma tabela lembrou o jogador que acompanhamos no ano passado. Precisa arriscar e se soltar mais. Aos poucos vai se adaptando ao peso da camisa. 


Brenner: 7
Entrou, lutou, cavou faltas e quase fez o gol da vitória em duas oportunidades. 


Alberto Valentim: 7
O time entrou dormindo e saiu atrás. Soube controlar os ânimos e consertou a equipe para a segunda etapa. A vitória não veio por pouco. Agora é hora de superar um desafio maior, vencendo um clássico para conseguir a classificação às semifinais. 


| Siga-me no Twitter: @pedrochilingue