Estatísticas dos 10 primeiros jogos do Ceará em 2018

Nos cinco primeiros jogos desse ano, tinha gente implantando crise e caos em Porangabuçu. E o pior de tudo é que alguns eram da imprensa esportiva. Cheguei a ver alguns pedindo cabeça de treinador e tudo o mais. O torcedor conhece muito bem quem são esses que gostam de aparecer. Peço que vocês, alvinegros, escolham bem as notícias que acessam. Muitos querem o caos no Vozão. Agora que emendamos 5 vitórias seguidas, sendo 1 na Copa do Nordeste (objetivo do 1º semestre), 1 no clássico-rei, 1 na Copa do Brasil (que nos rendeu quase 1 milhão de reais) e 2 no Cearense (com time reserva), ninguém vê esses "jornalistas". Assim é o futebol.


Não, não sou lunático a ponto de dizer que o Ceará é o melhor time do mundo e que brigaremos pela Libertadores com esse elenco. Claro que não. Minha função não é distribuir pirulito ao torcedor. Temos deficiências sim, mas não como alguns diziam. Acredito que Chamusca tem o grupo na mão e a diretoria já vem analisando onde precisará se reforçar ao longo do ano. Além disso, esse grupo já tem uma certa identidade. Só queria ressaltar ao torcedor que estamos muitíssimo longe de uma crise ou desespero. Mas vamos ao que interessa nessa postagem que são as estatísticas desses primeiros dez jogos em 2018. Elas serão comparadas com as dos dez primeiros jogos desde 2015 (a escolha do ano se deve ao meu apanhado pessoal ser desde esse ano). Pretendo repetir essa postagem a cada 10 jogos do Vozão e fazer como se fosse uma matéria fixa aqui no blog.


Site oficial do Ceará SC
Site oficial do Ceará SC

Time já possui certa identidade nesse começo de ano


APROVEITAMENTO


Desde 2015, o Ceará tem o melhor aproveitamento nos primeiros 10 jogos do ano. São 7 vitórias, 1 empate e 2 derrotas, totalizando, assim como em 2016, 73.3% de aproveitamento. Em 2015, foram 6V, 3E, 1D (70%) e em 2017 foram 6V, 2E, 2D (66.7%). Coincidentemente, em 2016 e 2018 não mudamos de treinador nos primeiros 10 jogos, enquanto que nos outros dois anos que tínhamos um aproveitamento menor havíamos demitido o treinador no 9º jogo. A diferença, ao meu ver, é que Chamusca é bem mais treinador que Lisca e o time tem uma identidade de jogo desde o ano passado. Em 2016, Lisca ganhava, mas não convencia com seu esquema de 8 volantes. Temos 100% de aproveitamento na Copa do Nordeste (2V) e na Copa do Brasil (1V). Éverson é o jogador que mais atuou no ano, com 9 partidas, seguido por 5 atletas que jogaram 7 vezes (Juninho, Richardson, Ricardinho, Felipe Azevedo e Arthur Cabral). 


ATAQUE


São 18 gols em 2018, novamente assim como em 2016. Porém, em 2015 já havíamos marcado 20 gols. Já em 2017, embora tenha sido vitorioso, o cube era econômico em gols e só havia feito 10. Destaque para 4 gols marcados de cabeça, o maior número nos últimos anos. Além disso, 7 nasceram de cruzamentos altos. Também é legal notar que 8 gols saíram de jogadas trabalhadas pela direita e apenas 3 pela esquerda. Seja gol ou assistência direta (último toque antes do toque para o gol), são 3 tentos na bola parada. 1 de pênalti (mesmo número de gols marcados dessa forma em todo o ano de 2017) e 2 nascidos de escanteios. Além disso, são 12 gols marcados no 1º tempo e apenas 6 no 2º, sendo todos os gols do segundo tempo antes dos 15 minutos finais. Dos 18 gols, 3 foram pela Copa do Nordeste e 1 pela Copa do Brasil. Elton é o artilheiro do ano (4G), seguido por Andrigo e Arthur Cabral (3G) e Douglas Coutinho e Felipe Azevedo (2G). Quando o quesito é assistência, temos 4 líderes com 2 assistências cada (Andrigo, Juninho, Pio e Felipe Azevedo). Elton foi o que mais participou diretamente de jogadas de gol (5). 


Site oficial do Ceará SC
Site oficial do Ceará SC

Equipe desse ano já marcou 18 gols


DEFESA


Esse é um quesito difícil de analisar. Isso porque, dos 9 gols sofridos, 8 foram nas primeiras 5 partidas. Chamusca organizou a defesa de uma forma que nos últimos 5 jogos levamos apenas 1 gol. Porém, o início desatento fez com que tivéssemos a pior defesa junto com a de 2015. Em 2016 foram 5 gols, enquanto que em 2017 foram apenas 4. Se os cruzamentos altos foram nosso forte no ataque, foram nosso fraco na defesa. Foram 3 gols assim. Também pela nossa direita se originaram muitos gols: 4. Além disso, foram 3 gols originados de bola parada: 1 de pênalti e 2 com assistências de cobranças de falta. Mas, é como digo, nos últimos 5 jogos Chamusca deu um jeito no nosso sistema defensivo. É interessante notar que só levamos gols no Cearense. Dos 9 gols sofridos, 5 foram no segundo tempo. Já dá para perceber que o rendimento do time nesse tempo é um pouco menor que no 1º, mas isso era de se esperar em início de temporada. Éverson levou 7 gols e Renan 2.


CARTÕES


Se em 2015 e 2017 foram 29 cartões amarelos, 2018 só está menos fair play nesse quesito que em 2016. Esse ano, foram 20 cartões amarelos, enquanto que naquele foram 19. Em compensação, 2018 marca o ano que o Vozão não levou nenhum vermelho. Em 2015 e 2017 já tinham sido duas expulsões e em 2016 uma. Sempre bom ter um time que joga limpo, e o desse ano vem sendo assim, tanto que não tivemos nenhuma suspensão em nenhuma competição. Temos Juninho e Pio pendurados no Cearense e só. Richardson é o jogador que mais recebeu cartão amarelo (3), seguido por 6 jogadores que receberam 2 (Elton, Felipe Azevedo, Juninho, Leandro Silva, Pedro Ken e Pio).


RENDA E PÚBLICO


Aqui é melhor analisar em tópicos:


2015 (5 jogos como mandante): média de 11216 pagantes, arrecadação líquida de R$483.703,42.
2016 (4 jogos como mandante): média de 4133 pagantes, arrecadação líquida negativa de R$46.864,91.
2017 (4 jogos como mandante): média de 3712 pagantes, arrecadação líquida negativa de R$51.865,25.
2018 (4 jogos como mandante): média de 3500 pagantes, arrecadação líquida de R$10.603,62.*


A triste realidade é que, no começo do ano, o Ceará paga para jogar. Não há grande apelo em jogos do Cearense (salvo clássico) e do começo da Copa do Nordeste. A média acentuada de 2015 se deve a termos realizado um clássico com mando de campo, enquanto que as rendas positivas se devem aos anos que ganhamos 60% da renda desses jogos. Por isso a importância das classificações nas Copas do Brasil e Nordeste, fornecem grandes prêmios financeiros. O Manjadinho, infelizmente, nem isso fornece. 


* O Ceará mandou 5 jogos, porém o borderô do último jogo contra o Horizonte ainda não foi divulgado pela FCF. Há também 60% da renda do jogo contra o Brusque, mas o boletim financeiro dessa partida também não foi liberado pela CBF. 

Bom, é isso, torcedor alvinegro. Lembrando que hoje teremos mais uma batalha em busca da classificação na Copa do Nordeste. Provavelmente nosso jogo mais difícil na fase de grupos, contra o Sampaio Corrêa fora de casa. Para não perder a viagem das estatísticas, abaixo o histórico dos últimos jogos contra a Bolívia Querida desde 2015.


Ceará 1x3 Sampaio Corrêa (06/06/2015 - Série B)
Sampaio Corrêa 1x0 Ceará (12/09/2015 - Série B)
Sampaio Corrêa 1x1 Ceará (24/02/2016 - Copa do Nordeste)
Ceará 3x1 Sampaio Corrêa (03/03/2016 - Copa do Nordeste)
Sampaio Corrêa 2x3 Ceará (04/06/2016 - Série B)
Ceará 0x1 Sampaio Corrêa (13/09/2016 - Série B)


Ligeiro favoritismo para eles, com 3 vitórias e 9 gols marcados, enquanto fizemos 8 e ganhamos 2. Que hoje à noite esse retrospecto mude, bora Vozão!