O 9 do Vozão veste a 40 e tem nome de rei

Antes de começar a falar sobre o Arthur Cabral, queria deixar claro uma coisa. Na última postagem que fiz, ainda não o via como titular. Após o último clássico em que ele entrou e, mais uma vez, foi decisivo, mudei de opinião. Não porque Elton venha mal. Longe disso, acho Elton um excelente centroavante que vem bem, mas o menino Arthur está voando. Como futebol é momento, adoraria vê-lo como titular. E ainda teríamos uma excelente opção no banco com Elton.


Vamos falar sobre o Arthur. Nascido em 25 de abril de 1998, na bela Campina Grande/PB, Arthur Mendonça Cabral chegou ao Ceará Sporting Club em 2014. Bastante humilde e compromissado, logo se tornou destaque nas categorias de base. Teve uma curta experiência no Palmeiras, mas não vingou por lá. É do estilo tranquilão, diz que prefere ficar em casa a sair e tem paixão por jogar futebol no vídeo-game.


Em 2015, estreou pelos profissionais em momento conturbado do clube, que à época brigava contra um rebaixamento na Série B. Em seu primeiro jogo, um empate morno contra o Tupi/MG pela Copa do Brasil no PV. No jogo da volta, já deu mostras de que é predestinado. Entrou aos 46 minutos e, aos 48, marcou o gol que selaria a classificação do Vovô para a próxima fase. 


Site oficial do Ceará SC
Site oficial do Ceará SC

Arthur em ação contra o Paraná pela Série B 2015.


Mas resumir as qualidades do Rei Arthur à predestinação é um erro. E dos grandes. O garoto tem excelente porte físico, senso de posicionamento e finalização apurada, principalmente com a cabeça. Aí sim junte a isso o poder de decisão. A crescente nos momentos difíceis. Isso passou a ser notório no ano passado, onde Arthur começou a marcar gols importantes, como contra o ABC e contra o Paysandu, que nos deram 6 pontos fora de casa. Contra o time potiguar, aliás, ele falou que foi o gol mais importante para ele, pois decidiu o jogo e teve seu nome gritado por torcedores alvinegros que viajaram até Natal. O atacante, inclusive, tinha a sina de não marcar em casa. Só veio marcar um gol em nosso estado já no seu 6º gol como profissional, em um clássico-rei pelas quartas de final da Fares Lopes.


Se ano passado já foi importante no acesso com 4 gols (que nos garantiram 9 pontos a mais), esse ano o pivete da base deslanchou. Já são 7 gols em 13 jogos, sendo que apenas 6 como titular. Possui uma média de 1 gol a cada 100 minutos, ou quase um gol por jogo inteiro. Por isso, ao meu ver, merece a titularidade. Avisei que a via como um futuro não muito distante, mas não esperava que fosse ser tão próximo assim. No último domingo, em outro clássico-rei, o garoto mostrou que tem, realmente, muita estrela. E acredito que mudou de opinião quanto ao seu gol preferido.


Entrou as 30 minutos do segundo tempo e finalizou 3 vezes. Na primeira, para fora. Na segunda, não perdoou. Mostrando todo seu perfil de goleador nato, Arthur recebeu na área, girou sobre o zagueiro e, caído (aliás, já é o segundo gol dele caído, demonstrando toda a raça que possui) tocou no canto do goleiro. A bola caprichosamente beijou a trave e entrou de leve. Um gol que demonstrou muita coisa em um só lance. A raça, a força física, o poder de finalização e, claro, a predestinação. E ainda tinha tempo para o atacante quase marcar o da virada, mas o goleiro adversário operou um milagre.


Site oficial do Ceará SC
Site oficial do Ceará SC

Arthur reverencia a torcida após gol no clássico-rei. 


Reuni alguns dados do centroavante em sua carreira que enumero a seguir.


1. Arthur já realizou 42 jogos como profissional, sendo 15 como titular. São 18 vitórias, 14 empates e 10 derrotas. Em 2015 foram 4 jogos, 1 como titular; 2016 foram 3, todos como titular; 2017 foram 22, 5 como titular; e em 2018 já vão 13 jogos, 6 como titular. Junto com Éverson, é o atleta com mais jogos esse ano. São 702 minutos em campo;


Twitter oficial Ceará SC
Twitter oficial Ceará SC

Arthur e Éverson após o clássico. No ano, 13 jogos cada.


2. Nesses 41 jogos, são 13 gols marcados e 3 assistências. Com um total de 1913 minutos em campo, Arthur tem uma média de 147 minutos para marcar um gol. Algo em torno de 1 gol a cada um jogo e meio em campo; 


3. Dos gols e assistências, nota-se que o centroavante é muito forte dentro da área. Os números também mostram que é um exímio cabeceador (4G) e não tem medo de usar a canhota (3G). Alguns gols bonitos, como contra o Brasil/RS e Paysandu, e alguns gols com muita importância, como contra ABC, Londrina e no último clássico. Mas, para mim, o gol mais bonito foi o de letra contra o Iguatu;


Mário Henriques
Mário Henriques

Como foram os gols e assistências do Arthur Cabral.


4. Arthur marcou em todas as competições que disputou. Tem como vítima preferida o rival, com 2 gols marcados em 4 jogos. E já tem foto com o Sérgio Alves, eu não acredito em coincidências;


5. Como costuma entrar no segundo tempo, a maioria de seus gols ocorreu nos 15 minutos finais, sendo 3 nos acréscimos. E só em jogo decisivo: nas vitórias por 2x1 contra Tupi e Londrina e no empate no último clássico-rei. Quase não tem estrela.


Mário Henriques
Mário Henriques

Estatísticas dos gols do Arthur.


Queria agradecer à Rafaela Brasileiro, do blog Rafa Falando, pela ajuda fornecida, ao Danilo Diniz, do Táticas Ceará, e ao Manim Barreto, amigo que o Twitter me proporcionou, por algumas estatísticas compartilhadas.


Para finalizar, digo que sim, Professor Marcelo Chamusca, você agora tem que olhar para o menino sendo titular. Inclusive, em jogo importante da temporada que atuou como titular, Arthur deu conta do recado que fez o gol da vitória contra o CSA. Reitero que clamo por Arthur titular não por má fase de Elton, longe disso. Peço isso porque o nosso Ibrarthurmovic (fiquei em dúvida entre Rei Arthur, Arthurmeyang, Arthurry Kane ou Tutuzão, fui de Zlatan) vem jogando pra caramba!


Instagram do Arthur Cabral
Instagram do Arthur Cabral

Sérgio Alves e Arthur Cabral. Carrasco e Carrasquinho?