Um novo espaço azul para o Chelsea

A popularização do futebol europeu nos meios de massa e na internet brasileira tem modificado o cenário cada vez mais em prol dos clubes europeus, mas muito antes o Chelsea Brasil já despontava como uma importante liderança alternativa na cobertura europeia. Desde 2010 no ar, atravessamos diferentes fases. Este jornalista que escreve este texto se tornou membro daquele antigo blog quando era um mero estudante do ensino médio. Mas foi um pouco antes, em 2008, que comecei a torcer por este clube. 


Quem não se lembra da estreia de Robinho pelo City? Pois bem, foi naquela partida que despertou o olhar e a vontade de torcer para o clube de Manchester... Mas quis o destino que o Chelsea de Felipão vencesse o jogo, com gol de Alex, numa cobrança de escanteio ainda. E eu, um jovem de 13 anos, de alguma maneira, me afeiçoei ao clube de Abramovich.


Ao pé da letra, o torcedor do Chelsea é duramente criticado e invejado. Sim, invejado. Por mais que falem que existe o tal do ‘dinheiro russo’ ilegal, roubado, etc, que é teoricamente ilegal, roubado, etc nunca foi provado algo do tipo. E, me digam, qual a diferença do dinheiro do Abramovich para o Palmeiras da Parmalat ou o Botafogo do Emil Pinheiro, ou o Corinthians na época da MSI?


Sem entrar no mérito da questão e não querendo fazer uma comparação estrutural, mas a única diferença existente é que nos casos brasileiros a empresa parceira não estava no poder, de fato.


Getty Images
Getty Images

Abramovich ainda é motivo de desconfiança para muita gente no Brasil


Voltando aos Blues, seja na Inglaterra, na Ásia ou aqui mesmo no Brasil, nós sabemos o quão difícil e prazeroso é torcer para o maior time de Londres. E, no momento, não dá para negar e nem tapar o sol com a peneira: a fase é delicada.


A atual temporada será analisada, sim, pelo blogueiro, mas no próximo texto. Até porque precisaremos entender o terceiro ciclo em que nos encontramos, antes de caminhar para o futuro, que chegará independentemente se o Chelsea quiser ou não.


Ao final de alguns textos, encerrarei a postagem com quatro tópicos que abordarão assuntos paralelos, porém, referentes ao Chelsea.


Sem explicação: Qual terá sido a lógica de Antonio Conte em trocar meio time na partida de hoje? Por mais que os torcedores não saibam dos problemas no elenco, Hazard no banco de reservas não me pareceu uma alternativa realista.


Em tempo: O que fazer com Álvaro Morata? É visível a falta de confiança do atacante espanhol em si mesmo, mas gastamos 70 milhões de libras e precisamos de um retorno, em campo ou nos cofres.


Dica de blue: Lá no Chelsea Brasil, meu colega Tiago Santos levantou a bola sobre quem será o novo treinador do Chelsea no  Bluecast 114!


Corneta da semana: Caballero, Caballero... uma falha imperdoável na única chance de ouro criada pelo Huddersfield. A classificação à Champions League provavelmente não virá, mas não será por causa desta partida e sim pelo conjunto péssimo da temporada.