Jogadores do Chelsea tem o melhor aproveitamento da década na fase de grupos da Copa 2018

Antes de entrar no assunto do título do post, é preciso fazer um grande parênteses.


Estamos caminhando para o fim de junho, entrando na reta final da Copa do Mundo e nada de novidades, oficiais, do Chelsea. Os últimos rumores apontam Golovin, Alisson, Rugani e mais uma penca de nomes especulados no maior clube de Londres... Mas volto a bater naquela tecla: e daí? O comando técnico ainda não foi definido e pensar em reforços torna tudo mais complicado e estranho. Como pensar em jogadores novos se não há um maestro para escalá-los?


De positivo, há um acerto não-oficial com Maurizio Sarri, segundo a imprensa britânica. Todavia, para existir a oficialização é preciso dispensar primeiramente Antonio Conte e isto ainda não foi feito. Ao passo que a definição se aproxima, há inclusive rumores sobre o aproveitamento dos jogadores envolvidos com a Copa do Mundo, casos do meia Rubens Loftus-Cheek, da Inglaterra, e Kenneth Omeruo, da Nigéria, por exemplo. O primeiro, inclusive, estaria em uma lista de aproveitáveis de Sarri.


Enquanto não há definições oficializadas, tornando este junho o mês de junho mais misterioso de todos os anos da gestão de Abramovich nos Blues, a Copa do Mundo continua com toda a sua relevância e exposição. Com o fim da fase de grupos, foi possível fazer um levantamento e mostrar que o mundial atual é o que teve o melhor aproveitamento dos jogadores do Chelsea na fase de grupos.


O blogueiro utilizou como amostras os Mundiais de 2010 na África do Sul, 2014 no Brasil e o atual, 2018, na Rússia.


Na Copa de 2010, o Chelsea teve 16 jogadores convocados:


• Ashley Cole, John Terry, Joe Cole e Frank Lampard (Inglaterra)
• Michael Essien (Gana)
• Florent Malouda e Nicolas Anelka (França)
• Didier Drogba e Salomon Kalou (Costa do Marfim)
• John Obi Mikel (Nigéria)
• Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho e Deco (Portugal)
• Branislav Ivanovic e Nemanja Matic (Sérvia)
• Miroslav Stoch (Eslováquia)


Riscados, os jogadores que foram eliminados na primeira fase. França, Costa do Marfim e Sérvia ficaram na fase de grupos, levando sete dos 16 blues convocados. Os outros nove que permaneceram na competição indicam um índice de sucesso de 56,25%.


Não por muito, é verdade. A Inglaterra caiu logo nas oitavas, junto de Portugal e Eslováquia. O Blue mais longe nesta Copa foi Essien, por Gana, que chegou às quartas de final.


Em 2014, tivemos 18 jogadores convocados.


• Frank Lampard, Gary Cahill. (Inglaterra)
• Thibaut Courtois, Romelu Lukaku, Eden Hazard. (Bélgica)
• Oscar, Ramires, David Luiz, Willian. (Brasil)
• Samuel Eto’o. (Camarões)
• Andre Schürrle. (Alemanha)
• Fernando Torres, Cesar Azpilicueta e Cesc Fàbregas. (Espanha)
• John Obi Mikel, Kenneth Omeruo e Victor Moses. (Nigéria)
• Christian Atsu. (Gana)


Novamente, riscado, os eliminados na primeira fase. Ao contrário da Copa de 2010, houve um aumento no número de Blues convocados: de 16 para 18. Entretanto, o número de eliminados foi o mesmo: sete. Os outros onze que ficaram apontam um índice de 61,20%.


A Nigéria caiu nas oitavas contra a França, a Bélgica perdeu para a Argentina nas quartas e o Brasil na semifinal contra a Alemanha. Por falar em Alemanha, tivemos um Blue campeão na Copa: André Schürrle.


Getty Images
Getty Images

Schürrle foi Campeão do Mundo em 2014


Na Copa atual, foram 14 jogadores convocados por suas seleções.


• Thibaut Courtois, Michy Batshuayi, Eden Hazard (Bélgica)
• Willy Caballero (Argentina)
• César Azpilicueta (Espanha)
• Antonio Rüdiger (Alemanha)
• Gary Cahill e Rubens Loftus-Cheek (Inglaterra)
• Andreas Christensen (Dinamarca)
• N’Golo Kanté e Olivier Giroud (França)
• Victor Moses e Kenneth Omeruo (Nigéria)
• Willian (Brasil)


De 14, só três não passaram, o que leva a um índice de sucesso de 78,6% de Blues na fase de mata-mata. Ter o melhor aproveitamento da década leva a situações peculiares como o enfrentamento de Giroud e Kanté x Caballero no sábado (30) ou um provável Willian x Courtois, Hazard e Batshuayi nas quartas de final.


Do outro lado da chave, podemos ter Azpilicueta x Cahill e Loftus-Cheek numa semifinal. Ou até mesmo Christensen x Cahill e Loftus-Cheek, por que não?


Será que teremos um Blue campeão do mundo novamente? Eu apostaria que sim.