O dilema chamado N’Golo Kanté

Chegamos na primeira data FIFA e o saldo é extremamente positivo. Quem poderia imaginar que após quatro rodadas estaríamos com 100% de aproveitamento? Em meio a todo o processo de aprendizado de um novo estilo de jogo, quatro vitórias em quatro partidas soa um pouco utópico.


Ganhar do Newcastle, fora de casa, se tratando de Chelsea, é uma tarefa extremamente complicada. Quem não se lembra das derrotas na época de Villas-Boas e Mourinho? Até mesmo com Conte, na última temporada... Porém, passado este breve começo bom dos Blues, é necessário fazer uma reflexão sobre os problemas encontrados até então.


Antes, é preciso ressaltar que o próprio Maurizio Sarri disse que levará de dois a três meses para o time dele estar 100% bem. E este período é totalmente compreensível, visto que estamos procurando construir o jogo, não mais reagir. O próprio blogueiro já sinalizou isso em outros textos e só nos resta aguardar.


Se os reforços estão brilhando, é prudente apontar que alguns atletas já presentes no elenco estão tendo que se acostumar a novos posicionamentos. Marcos Alonso, como lateral e não mais como ala, e Álvaro Morata, tendo que participar mais do jogo do que na época de Antonio Conte são dois exemplos bem destacados. Todavia, o maior deles se chama N’Golo Kanté, tema central deste texto.


É notório ver que há o temor, dentro da torcida Blue, que Kanté possa sobrar neste novo esquema do Chelsea. Antes de mostrar o novo posicionamento é preciso relembrar a breve carreira do campeão mundial com o clube londrino.


O pequenino camisa 7 chegou depois de ter sido campeão com o Leicester. E, se formos lembrar, sua função naquela equipe campeã da Premier League era a de basicamente ser o pulmão daquele time, roubando muita bola e brilhando defensivamente, sem tantas responsabilidades ofensivas. O esquema de Claudio Ranieri era um 4-4-2 sem muitas novidades, extremamente reativo e operário.


Getty Images
Getty Images

O improvável título dos Foxes teve participação decisiva de N'Golo Kanté


Ao chegar aos Blues, Kanté logo mostrou que seria de fundamental importância no título inglês. Sua dupla com Matic foi vital e um dos pontos essenciais que fez os Blues se sagrarem campeões. A solidez defensiva era a marca daquele time campeão.


Com Sarri, ele tem que construir e ser o famigerado ‘box-to-box’ que Allan fazia no Napoli. No último Bluecast, lá no Chelsea Brasil, debatemos e muito sobre essa questão. O autor deste texto acredita que com o tempo haverá uma adaptação segura e o nosso monstrinho será capaz de brilhar nesta nova função. Mas, há uma corrente, que acredita que não dará certo e que ele pode até ser vendido, se tudo der errado.


E você, de que lado está? Abaixo, os dois esquemas que Kanté jogou - o primeiro há dois anos e o segundo, o desta temporada. 

Lineup Builder
Lineup Builder

O Chelsea 2016-2017 de Antonio Conte

Lineup Builder
Lineup Builder

O Chelsea 2018-2019 de Maurizio Sarri