Pulisic pode ser uma boa novidade, mas Callum Hudson-Odoi é o presente do Chelsea

Christian Pulisic tem 20 anos e é a promessa que mais empolga os amantes do ‘soccer’ nos Estados Unidos. Callum Hudson-Odoi tem 18, foi campeão mundial com a Inglaterra Sub-17 e é amado pelos torcedores do Chelsea, que não aguentam mais esperar por uma promessa formada na base londrina tendo sucesso nos profissionais.

O que separa os dois atletas, além da diferença de idade? 64 milhões de euros. Este foi o valor pago pelos Blues ao Borussia Dortmund pela jovem promessa americana. Valor à parte, que é até justo, considerado o mercado atual e o teto de Pulisic, o time de Sarri precisava de reforços para o ataque. No último texto, este ponto foi constantemente levantado pelo blogueiro. O grande problema é em relação ao presente. Qual a lógica de contratar um jogador e imediatamente emprestá-lo por mais seis meses a um time em que seu desempenho não vem sendo bom na atual temporada?

Contando todas as competições, são 1024 minutos em campo na atual temporada, 18 jogos disputados, três gols e quatro assistências para Pulisic.

A título de comparação, Hudson-Odoi tem 407 minutos em campo, sete jogos disputados, um gol e três assistências.

Comparado friamente, a promessa inglesa dá uma assistência a cada 135 minutos. Já a promessa americana faz isso a cada 256 minutos.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Pulisic é uma boa aposta para o futuro, porém, precisamos de reforços para o presente


Deixando os números de lado, nada melhor do que a opinião de gente como a gente: um torcedor do Borussia Dortmund. Gentilmente, o ex-blogueiro do Borussia aqui no ESPN FC, Walter Paneque, teceu alguns comentários sobre a mais nova contratação dos Blues:


"Acho que o Chelsea pagou caro demais para um jogador que se provou muito pouco constante até aqui. Ele é muito irregular em sequências que recebe como titular. É talentoso, tem recurso, interessante demais, mas acaba se tornando alguém com status muito além do que é por causa disso dos EUA... a ansiedade por um talento de lá e etc.


E acho meio limitada a atuação dele porque para mim os melhores momentos dele são todos como meia pela direita ou um ponta (não exatamente como atacante pela direita, aparece melhor quando recompõe).”

Enquanto pensamos no futuro, o que é necessário porque Willian e Pedro não são mais garotos, o presente clama por uma pitada de novidades. O camisa 22 só chega na próxima temporada, e o nosso elenco não tem peças suficientes para o rodízio.


Em meio a essa necessidade de reforços, ainda há o agravante da proposta do Bayern de Munique pelo atleta de 18 anos. O medo de perder Odoi tão cedo tem levado, inclusive, a comentários fortes de Zola e Sarri, que desejam e fazem força pela sua permanência – algo que é extraordinário se formos comparar com o recente tratamento dado pelo clube de Abramovich à sua base.

Pulisic pode ser uma boa resposta em um futuro não tão distante? Pode. Mas precisamos manter os jogadores que ainda estão sob nossa tutela e trazer reforços para o momento atual. O presente vem antes do futuro, e é preciso almoçar antes de jantar.