Chelsea: reinado de Conte pode chegar ao fim após polêmica com David Luiz

Antes da polêmica, a vitória sobre os Red Devils


Contra o Manchester United, os Blues não fizeram um jogo brilhante, mas o nível do futebol apresentado foi muito superior em relação às partidas anteriores. 



Curta o Pride of London no Facebook



O retorno de Kanté foi crucial para que o Chelsea voltasse a apresentar organização dentro de campo, algo que inexistiu com Fàbregas e Bakayoko.


Incansável, o francês anulou as ações ofensivas do United, deixou Cesc livre na armação e Bakayoko pôde jogar mais avançado - tanto que teve duas boas chances de aumentar o marcador e falhou miseravelmente. 


Além de Kanté, Azpilicueta roubou a cena em Stamford Bridge. Escalado como zagueiro e não ala, o espanhol não deu tranquilidade e liberdade para Lukaku. Como se isso já não fosse o suficiente, o camisa 28 ainda cruzou com perfeição para Morata garantir a vitória - foi a quinta assistência dele e todas destinadas ao camisa 9, que chega a sete gols no campeonato. 


Getty Images
Getty Images

Azpilicueta e Morata: dupla de sucesso


Assim como na temporada passada, o Chelsea foi cirúrgico e letal. Aproveitou a chance em um dos poucos vacilos defensivos do adversário e foi pouco ameaçado - somente nos últimos dez minutos em que Courtois teve que sujar o uniforme. 


O título ainda é um sonho distante, mas o triunfo foi importante para que o Chelsea continue na briga. Vai que acontece uma sequência de vitórias e o time engrena de vez? Nunca se sabe...


David Luiz e Antonio Conte: o conflito da vez


Getty Images
Getty Images

Em caso de mais desentendimentos com jogadores, Conte corre o risco de abandonar o posto de 'Rei de Stamford Bridge'


Depois do episódio em que culminou com a dispensa de Diego Costa, a expectativa era que Antonio Conte tivesse aprendido a lição. Não que suas decisões tenham sido erradas - afinal, ele é o comandante e precisa tomar escolhas difíceis. O problema, no entanto, refere-se à sua conduta nessas situações


ESPN.com.br | Após barrar David Luiz, Conte deixa futuro do brasileiro indefinido


A opção por barrar David Luiz é legítima, ainda que nem relacioná-lo para a partida tenha sido exagero demais. Até mesmo Gary Cahill, então capitão da equipe, também foi barrado, mas ao menos ficou no banco de reservas diante do Bournemouth e voltou ao time logo na sequência. 


Para quem se desfez tão facilmente de Diego Costa, ídolo de grande parte da torcida, afastar o zagueiro brasileiro nem é lá grande coisa, ainda que o camisa 30 seja bem querido entre os torcedores. Até aí tudo bem... O problema veio depois, mais precisamente na coletiva pós-jogo. 



“Vocês falam sobre o futuro dele, mas todos os dias falam sobre o meu futuro. Todos os dias meu futuro é discutido na imprensa. Não sei qual o futuro de David, Andreas é o presente e o futuro. Ele precisa trabalhar realmente duro, de outra maneira ele permanecerá no banco de reservas ou nas arquibancadas.



Essa declaração de Conte deixa claro sua insatisfação com o brasileiro. Discussão no vestiário? Corpo mole nos treinamentos? Ninguém sabe realmente o que motivou sua decisão, mas dizer que o jogador "permanecerá no banco de reservas ou nas arquibancadas", ele não ameniza o problema - pelo contrário, apenas bota mais lenha na fogueira. Totalmente desnecessário. 


Todos sabem que Christensen, de fato, merece a titularidade. O dinamarquês é disparado nosso melhor defensor ao lado de Azpilicueta. Se Andreas é o presente e futuro do Chelsea, a ascensão do jovem defensor não precisa significar o desligamento de David Luiz. 



É por isso que o papel do treinador vai muito além dos treinamentos, jogos e esquemas táticos. Certo ou não, os treinadores, atualmente, precisam saber conduzir elencos recheados de estrelas e os egos lá no alto. Afinal, quando o clima beira o insustentável, é mais fácil demitir apenas uma pessoa - o técnico - do que o time inteiro. José Mourinho que o diga...


Atitudes como a de Conte desagradam o elenco, ainda mais pela influência de David Luiz para o clube, torcida e o restante do plantel. Fora isso, a incerteza e o medo que paira sobre os demais jogadores. Diego Costa já foi, David Luiz segue numa situação delicada... Quem será o próximo? Hazard? Fàbregas? Willian?


Aposto que demissão de Michael Emenalo, diretor de futebol do Chelsea, está relacionada com toda essa confusão que ronda os bastidores do clube. Lembrando que o nigeriano era um dos homens de confiança de Abramovich...


Desde que chegou aos Blues, Conte é só elogios. Mas a história mostra que dar um passo maior que a perna num clube como o Chelsea pode ser um caminho sem volta.