O dia em que Mark Clattenburg permitiu cenas lamentáveis num Chelsea x Tottenham

Juízes de futebol são personas non gratas ao olhos dos torcedores. Desenvolvemos o hábito de apontarmos os árbitros como vilões por resultados decepcionantes. A culpa não é do time que não acertou nenhum chute ao alvo, mas sim do fulano de tal que não marcou aquela falta perigosíssima na entrada da área aos 40 do segundo tempo. 



Curta o Pride of London no Facebook



Na Inglaterra, os nomes de vários árbitros já estão na ponta da língua de muitos torcedores, tais como Mike Dean, Martin Atkinson, Andre Marriner, Anthony Taylor, entre tantos outros. Mark Clattenburg talvez seja o que menos goza da simpatia dos torcedores do Chelsea. 


Clattenburg apitou Chelsea e Manchester United em outubro de 2012. Os Red Devils não venciam os Blues há dez anos e o árbitro influenciou diretamente na quebra desta invencibilidade.


A partida, vencida pelo United por 3 a 2, contou com duas expulsões equivocadas dos jogadores do Chelsea, além do gol completamente impedido de Chicharito. Como se não fosse o bastante, Clattenburg supostamente teria ofendido dois atletas dos Blues - Mata e Mikel -, situação que gerou muita revolta a ponto do clube apresentar uma queixa formal ao delegado da Premier League. 


Antes de Clattenburg abandonar o futebol inglês para assumir um cargo na arbitragem da Arábia Saudita, ele foi protagonista de mais um episódio polêmico.


Chelsea e Tottenham se enfrentaram em maio do ano passado. À época, os Spurs ainda tinha esperança de tirar o título inglês do Leicester. Ao Chelsea, após temporada pífia, coube a tarefa de impedir que o rival saísse de Stamford Bridge com os três pontos. Pedro Reinert, blogueiro do One Hotspur, até brincou comigo e deu nome a este confronto: The Battle Of The Bridge


Getty Images
Getty Images

A cara de Clattenburg diz tudo


Ao podcast NBC's Men in Blazers e posteriormente reproduzido portal BBC, o árbitro deixou bem claro: "I allowed Tottenham to self-destruct against Chelsea in 2016". No portugês bem claro seria algo como "eu liberei pontapé pra tudo que é lado naquela partida". Para se ter dimensão do que foi aquele confronto, foram nove cartões amarelos apenas para os jogadores do Tottenham, além de admitir que poderia ter expulsado, no mínimo, três atletas. 



"Alguns juízes apitariam como manda o regulamento; Tottenham ficaria em campo com sete ou oito jogadores, provavelmente perderiam e eles teriam procurado alguma desculpa. Mas eu não dei motivo a eles, porque meu plano de jogo era: deixe eles perderem o título."



Clattenburg foi esperto e sua estratégia se mostrou acertada. Ele não deu margem para que a imprensa inglesa, extremamente sensacionalista, culpasse a ele por ter impedido que o Tottenham sonhasse em alcançar o Leicester City. A pancadaria foi enorme a ponto dos dois clubes receberam multas da Football Association e Dembelé foi suspenso por seis jogos (!) por conduta violenta pra cima de Diego Costa (!!). 


Abaixo, um vídeo de oito minutos de pura cenas lamentáveis: 



Sem dúvida que esta partida reacendeu a rivalidade entre Chelsea e Tottenham. E, ironicamente, o grande responsável por isso foi nada menos da pessoa que deveria coibir a violência entre os atletas.