Chelsea: Morata, Diego Costa e 'Os Pingos no Is'

Getty Images
Getty Images

Assim não, Morata...


Álvaro Morata, o vilão


Se não fosse pelo cabelo curto e preto, a torcida do Chelsea sairia do Emirates Stadium com a certeza que o camisa 9 que atuou diante dos Gunners nesta última quarta-feira (3) era Fernando Torres. 


Pegando este confronto como parâmetro, Morata praticamente resumiu o que foi a passagem do ex-camisa 9 dos Blues: passes inteligentes, boa movimentação e posicionamento certeiro na maioria das jogadas. Mas o que importa, mesmo, é bola na rede, e nesse fundamento Álvaro, infelizmente, lembrou perfeitamente os anos de Torres no Chelsea: gols perdidos. 


Curta o Pride of London no Facebook


As coisas acontecem muito rapidamente no futebol, o que leva a nos contradizer a todo momento. O que parecia excelente torna-se péssimo em questão de dias, semanas. Eu mesmo publiquei no blog que Morata, após a tripleta diante do Stoke City, chegou ao Chelsea para reverter a decepção que foi Torres. E cá estou, semanas depois, comparando os dois novamente, desta vez sobre a similaridade nas chances disperdiçadas. 


Não é de hoje que Morata tem se apavorado na frente dos goleiros e desperdiçado chances inacreditáveis. Sem pensar muito consigo lembrar de um lance contra o Manchester United em que se enrolou todo com a bola - mas passou despercebido porque marcou o tento da vitória - e recentemente frente ao Stoke City em Stamford Bridge. 


Não adianta pedir calma e paciência para os torcedores. Não adianta explicar que oscilações são naturais para um jogador que faz sua primeira temporada na Premier League. Não adianta comentar sobre "processo de adaptação". A torcida quer saber de resultado dentro de campo, e está certa. Afinal, enquanto você lê este texto, lembre-se que Morata chegou ao Chelsea por cerca de 70 milhões de libras. A revolta é justa.


Cabe a minha pessoa, no entanto, fazer o papel do advogado do diabo - o que nos leva ao interminável assunto Diego Costa. Como se não bastasse os gols perdidos, o ex-camisa 19 dos Blues estreou pelo Atlético de Madrid e demorou apenas quatro minutos para deixar a sua marca. Foi o suficiente para que grande parte da torcida começasse com as comparações, tais como que Diego jamais perderia aquelas oportunidades, que Antonio Conte é burro e queimou o brasileiro no Chelsea, e por aí vai. 


Os Pingos nos Is


A torcida adora pintar Diego Costa como injustiçado. Então vamos aos fatos: o centroavante, já na temporada 2015/16, começou a dar sinais que, embora feliz e artilheiro no Chelsea, não descartaria retornar ao clube colchonero, seu grande amor. Resultado: em meio à temporada turbulenta, Costa se desentendeu com Mourinho, ficou no banco contra o Tottenham e ainda tentou arremessar seu colete no treinador. Ó, tadinho. 


A saída do Special One foi, sem dúvidas, celebrada pelo elenco, inclusive pelo atacante. Sob o comando de Conte, Costa recuperou o instinto artilheiro e tudo parecia estar numa boa, até que uma proposta da China balançou o atacante, que declarou para quem quisesse escutar que, se fosse para sair dos Blues, que fosse para jogar no Atleti.


Para resumir: Chelsea era sua atual namorada, com quem vivia uma boa relação, mas o grande amor da sua vida era sua ex-namorada, o Atlético de Madrid. Algo parecido como: "Olha, eu tô feliz no Chelsea, mas se você me quiser de volta, Atlético, eu volto correndo para seus braços". Conte, assim como Mourinho, ficou puto e barrou o atacante diante do Leicester, que só retornou no confronto seguinte. Nem Mou, nem Conte são santos nessa história - e muito menos Diego Costa.


A conclusão? Parem de comparar Morata com um ex-jogador que, sim, honrou a camisa, mas que dava claro sinais que desejava sair. Fim de papo. Além disso, Costa chegou pronto aos Blues, definitivamente no auge. Diferente de Álvaro, que assume seu primeiro grande desafio na carreira - e, em meio a atuações irregulares, cumpre seu papel. 


Morata terá a chance de se redimir com a torcida contra o próprio Arsenal na próxima semana em confronto válido pela Carabao Cup. Quem sabe o espanhol não seja o nome do jogo e saia como herói? Dessa forma ninguém mais terá que aguentar as insuportáveis comparações com um jogador que, vale lembrar, não faz parte do clube há meses.