Hora de quebrar a sina

Chegou a hora de acabar com o “padrão Corinthians” em torneios sul-americanos. Depois da conquista impecável da Libertadores de 2012, os inúmeros jogadores que passaram pelo Timão conseguiram ser vitoriosos em diversas competições, e criar uma dinastia no futebol brasileiro, baseada em um sistema tático bem definido, uma defesa sólida e efetividade no ataque. Acontece que, em torneios mata-mata, toda essa soberania construída tem desaparecido.


Em torneios sul-americanos, é fato: o Corinthians não vence fora de casa e tem sempre jogadores expulsos. Desde 2006, o time não marca um gol sequer fora de casa nas oitavas. Em 2013, nas oitavas das Libertadores, o escândalo de Carlos Amarilla no Pacaembu eliminou aquele esquadrão estrelado que tinha de tudo para sagrar-se bicampeão do torneio. Mas, de qualquer jeito, no jogo de ida, perdeu por 1x0 para o Boca Juniors.


ELIMINAÇÕES E EXPULSÕES DO CORINTHIANS APÓS 2012


2013 – Agg: Boca Juniors 2x2 Corinthians


2015 – Agg: Guaraní-PAR 3x0 Corinthians


Expulsos: Fábio Santos e Jadson


2016 – Agg: Nacional 2x2 Corinthians


Expulso: Fagner


2017 – Racing 1x1 Corinthians


Expulsos: Rodriguinho e Jô


No ano do hexa, 2015, na mesma fase da competição, derrota por 2x0 para o inexpressivo Guaraní, adversário que havia sido humilhado por diretores corintianos que comemoraram o sorteio. No jogo da volta, Fábio Santos expulso por pisão e Jadson por tapa na cara do paraguaio, além da eliminação com derrota por 1x0.


Júnior Lago / UOL
Júnior Lago / UOL

Em 2015, contra o Guaraní, Fábio Santos pisou no paraguaio e foi expulso


Mais um ano se passou e logo de cara no mata-mata, tropeço do Coringão. Fora de casa, jogo péssimo contra o Nacional, do Uruguai, e 0x0. Na volta, partida emocionante até o final. Um 2x2 disputadíssimo com direito a gol perdido por Romero no último minuto. Aos 46 do 2° tempo, expulsão infantil de Fagner e mais um adeus a Libertadores.


Fora do maior torneio continental, o Corinthians disputou a Sul-Americana em 2017, e a sina não mudou. Na época do jogo, o Alvinegro liderava o Brasileiro com folga. Na Arena, até começou bem, abrindo o placar com Maycon, mas sofreu o empate. Na volta, o jogo não saiu do zero. Destaque negativo para Rodriguinho, que foi expulso com três minutos em campo, matando qualquer chance de remontada corintiana. Jô completou o serviço ao ser expulso aos 45 do 2° tempo.


No Chile, contra o Colo-Colo, não foi diferente. Menos talentoso de todos os elencos citados acima, o time não produziu nada, não se organizou em sua compactação e falhou muito atrás. A punição veio no único lance em que Cássio não foi brilhante, e Carmona aproveitou para abrir 1x0. De praxe, uma expulsão para o lado brasileiro. Gabriel chegou afoito, em dividida com o pé muito alto, levou o cartão amarelo e foi expulso pela primeira vez na carreira.


É, corintianos, agora, mais do que nunca, é hora de pôr a prova o mantra: Corintiano, Maloqueiro e Sofredor. Com expectativa de Arena lotada, o jogo de volta acontece nesta quarta. Cabe ao Corinthians, agora, quebrar uma sina e tanto para se classificar, calando todos os críticos, e se credenciando para um confronto espetacular contra os arquirrivais, em caso de classificação verde.