O ano ainda não acabou para o Corinthians

É, Corinthians, a sina continua. Mais um jogo, a mesma história de sempre, e o mesmo resultado. É difícil, porém necessário, se manter otimista em momentos como esses. Passada a tristeza por mais uma eliminação em oitavas de final da Libertadores, o Corinthiano tem de se orgulhar do tamanho do time, e pode olhar para o resto do ano de 2018 confiante, e sonhar com algo mais. 


A tensão na Arena Corinthians era evidente nesta quarta-feira. Um misto de ansiedade com medo pairava no ar. Isso tudo antes da bola rolar. A Fiel deu mais um show, empurrando o time para cima do Colo-Colo. O gol saiu antes até do esperado. Mas como já havia sido escrito nesse blog, uma sina atormenta nosso time, e como se fosse um replay das outras eliminações, levamos um gol bobo, que complicou, e muito, a nossa vida. 


Gazeta Press
Getty Images

Roger marcou o 2° do Corinthians, além de ser muito guerreiro no ataque.


No seu melhor jogo com a camisa do Corinthians, Roger tratou de nos colcoar a frente do placar em lance de escanteio, e dar mais uma vez uma chance para sonharmos. Osmar Loss, surpreendentemente, acertou nos jogadores que deveriam entrar, mas como sempre, errou naqueles que deveria tirar. Fagner fazia jogo consistente, crescendo no ataque. Pedrinho era o ponto de fuga, com lances individuais inteligentes. Sacou os dois. A bola não entrou, e nosso time, como de praxe, teve jogador expulso em jogada besta. Bola boba, um jogador a menos (ou a mais, tratando-se do inoperante Danilo Avelar). 


Em tempos que a fraqueza do Brasil se escancara quando se trata de Conmebol, o Colo-Colo se aproveitou. Nestor Pitana, juíz de Copa do Mundo, foi conivente com a demora exacerbada dos jogadores, sem amarelar ninguém, e muito menos adicionar tempo justo. Sim, 7 minutos é muito pouco em um jogo que teve jogador caído por 4 minutos e meio. Ai do Cássio, que com certeza teria levado o cartão amarelo com 15 minutos de primeiro tempo, se fosse no Chile. O jogo não rolou, e o Coringão foi eliminado mais uma vez, mesmo com gostinho de "quero mais". 


Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
 Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Danilo Avelar foi expulso em lance infantil e desnecessário


A tristeza fica pela maneira como foi eliminado, mas não pelo que passa o time. Somos o único paulista com título até o momento. O campeão de tudo nos últimos 10 anos. Anti-corinthiano que aproveita o momento para cornetar, que faça um cálculo dos troféus de seus times nas últimas temporadas, pode até somar com o do time dos amigos, não chegará aos nossos pés.


Nessa situação, talvez devessemos ser mais Cássio. O goleiro mesmo disse, após o jogo: "o Corinthians sai de cabeça erguida". E sai mesmo! São dois duelos decisivos contra o Flamengo que podem nos colocar em uma final de Copa do Brasil. No Brasileiro, o elenco é capaz de manter a campanha e ainda beliscar uma vaga para Libertadores. O ano ainda não acabou para o Corinthians.