Ah, é quarta-feira!

Era difícil esperar que o time mudasse como um todo, que houvesse uma revolução em dois dias e Jair Ventura conseguisse melhorar todos os defeitos abandonados por Loss, mas para Copa do Brasil, tem que mudar! Aos torcedores do rival, pareceu até que estavam comemorando um título, algo digno de risadas sarcásticas.


No 1° tempo, nenhuma produção ofensiva do Corinthians. O Palmeiras, que também não jogou tudo isso, fez chover bolas na área do Timão. Foram 14 cruzamentos sem sucesso nenhum. Destaques para a dupla de zaga Léo Santos e Henrique, absolutos, e também para a péssima partida (mais uma) de Danilo Avelar.


Os times voltaram do intervalo e o cenário da partida só piorou para o Corinthians. A enchurrada de bolas aéreas seguiu até que o pior aconteceu. Demorou horas para que Jair Ventura percebesse que as laterais eram avenidas, e que quem quisesse cruzava por ali. Numa dessas, Marcos Rocha aproveitou que Pedrinho não desceu e achou o péssimo Deyverson sozinho, que marcou. Falha de Léo Santos. O time não teve poder de reação, e assim acabou.


Ao final do jogo, me parecia um título do rival. Engraçado que, neste gramado, apenas nós levantamos o caneco em cima deles. A comemoração exagerada chega a ser engraçada. Me parecia que estavam em Yokohama, prestes a comemorar um título mundial. Ah, não...


Até certo ponto, o time esteve menos mal-organizado, com menos espaços. Acontece que, nada acontece do dia para a noite. É impossível esperar que Danilo Avelar aprenda a jogar futebol de repente, que o sistema de criação seja operante e que as laterais não sejam as avenidas que são no momento.


Tudo isso é fato, mas se espera que Jair Ventura tenha percebido os erros gritantes na escalação de Osmar Loss. Não dá pra “seguir o trabalho” do antecessor. Tem que mudar, tem que escalar o melhor. E como gritaríamos, se não existisse essa bizarrice de torcida única: Ah, é quarta-feira! E contra o Flamengo, esperamos melhoras.