Carille é peça fundamental para o Corinthians, mas o elenco ainda é fraco

Carille deixou o Corinthians com um plantel mais qualificado em relação ao de hoje. A diferença não é enorme, mas um ponto específico difere o time de maio de 2018, do atual: os pilares. Jogadores que representavam o futebol tático jogado pelo aprendiz de Tite, e foram vendidos, ou não renderam com os outros técnicos.


Daquele esquete titular forte, Balbuena foi embora, Maycon e Rodriguinho também, além do lateral-esquerdo Sidcley. Gabriel não reencontrou seu futebol, e acabou perdendo espaço no time. Foram pontos fortes da equipe que não foram repostos à altura, e transformaram uma equipe respeitada em um catadão perdido em campo.


Divulgação
Divulgação

Carille ganhou o Brasileiro, jogando um turno inteiro sem nenhuma derrota


Osmar Loss e Jair Ventura não conseguiram achar um padrão tático, o mínimo para se realizar um bom trabalho como técnico. Ambos testaram inúmeras formações e esquemas que não tiveram sequência e acabaram por queimar jogadores. Exemplos como Mateus Vital e Angelo Araos são atletas que podem render muito mais do que renderam, quando forçados a jogarem em posições que não eram as suas. 


Há de se considerar também, as idas e vindas do mercado da bola. Por aqui, trataremos apenas de negociações fechadas, ignorando por ora especulações infundadas e nomes que só iludem a Fiel. Até o momento, Michel Macedo, o lateral-direito reserva que a torcida esperava, liberando enfim Mantuan para atuar como segundo volante. Gustavo Mosquito e André Luís, que vem para dar opções de velocidade pelos lados do campo, serão testados no Paulista. O mais recente contratado, Richard, sinaliza que Gabriel pode estar de saída, ou uma superpopulação na vaga de primeiro volante, o que não seria novidade.


Fernando Dantas/Gazeta Press
Fernando Dantas/Gazeta Press

Gustavo, o Gustagol, foi artilheiro do Brasil em 2018

As saídas confirmadas são as de Emerson Sheik, Danilo, Vilson e o goleiro reserva Matheus Vidotto. Pedrinho aparece como a maior probabilidade de venda grande, o que poderia sanar algumas das dívidas corinthianas, ou engordar o cofre para contratações. Da lista extensa de emprestados que retornam, Gustagol e Camacho devem ser os únicos aproveitados. Capixaba deve ser envolvido em negociação.


É difícil projetar com certeza, já que a janela de transferências acaba de abrir, mas o time base do Corinthians, que Carille encontrará ao chegar no CT não deve fugir muito do que encerrou o ano. Cássio, Fagner, Henrique, Léo Santos, Carlos Augusto - Ralf, Douglas - Romero, Jadson, Clayson - Gustagol. Isso siginifica que o Corinthians precisa contratar peças essenciais para a zaga, lateral esquerda, volante de saída, meio de criação e centroavante. São seis peças que custariam uma bela grana ao clube, ou seja, teremos que nos reinventar com jogadores que já estão por aqui. Algumas das especulações agradam, outras nem tanto.


Isso de tirar leite de pedra que é a melhor qualidade de Carille. As seis peças necessárias não virão, quem sabe três delas, isso se for muito. O que conforta o corinthiano agora, é que o time volta a ser comandado por um profissional com padrão tático bem desenhado, boa manuntenção das peças do elenco, e acima de tudo: um homem vitorioso. Por ora, o treinador é a única boa notícia de final de ano, que alimenta uma pequena esperança de título em 2019.


NÃO PERCA UM TEXTO DO TIMÃO - SIGA NO INSTAGRAM






 

 

 


View this post on Instagram


“Carille é peça fundamental para o Corinthians, mas o elenco ainda é fraco” - Link na bio!


A post shared by Epidemia Corinthiana - Blog (@epidemia_blog) on