Uma classificação para coroar o maior goleiro da história do Corinthians

Esquisito, alto, desconhecido e estabanado. Foi assim que Cássio foi recepcionado ao Corinthians, em 2012. Isso antes de jogar. Quem esperava que aquele goleiro vindo da Holanda fosse se tornar um ídolo desde seu primeiro jogo? Que seria figura decisiva em uma Libertadores? Que ganharia tantos títulos com o Timão? Rapidamente a camisa 24 foi trocada pela 12, e agora, 7 anos depois, vemos o maior goleiro de nossa história defendendo nossa camisa.


Nesta noite de quarta, tudo se desenhou para que nosso gigante fosse decisivo mais uma vez. Impossível era não se arrepiar ao vê-lo chegar aos mesmos 395 jogos de Gylmar, defendendo bolas que lembravam aquele seu primeiro desafio de fogo, contra o Emelec, na Liberta de 2012. O Corinthians foi nulo no primeiro tempo, cresceu no segundo com a entrada de Love, mas sofreu com a ótima atuação do goleiro Arias, e não conseguiu mais do que o empate por 1 a 1. Definiríamos por mais uma vez nossa vida nos pênaltis. 


Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Vagner Love mudou a história do jogo.


Desde que vestiu nosso manto, Cássio defendeu 16 penais, 10 deles em disputas de penalidades máximas. Foram 6 de 9 disputas vencidas com essa parede na nossa meta. Chega a ser estranha a confiança com que os corinthianos vão para esse momento tão crucial, e não é pelos batedores. E na especialidade dele, não nos decepcionamos. Cássio cresceu como sempre, defendeu duas cobranças e foi decisivo para levar nosso time para a segunda fase da Sul-Americana. 


Conmebol
Conmebol

Cássio e Gustavo são os nomes da temporada do Corinthians até agora


Todos os desafios de fevereiro foram vencidos, muitos deles com grande ajuda do nosso arqueiro. O time mais perigoso da Sul-Americana está eliminado, e Carille caminha para achar seu time da temporada. A maior tranquilidade é saber que nossa escalação começa com Cássio.

NÃO PERCA NENHUM TEXTO DO CORINGÃO - SIGA NO @EPIDEMIA_BLOG