Muita calma antes da corneta!

É comum que uma torcida que viu seu time ganhar pelo menos um título no ano pelas últimas dez temporadas tenha se tornado um pouco mal-acostumada. Agora, toda corneta tem que ter o mínimo de critério para não se tornar algo arbitrário e, assim, acabar por denegrir a imagem de todos os torcedores. Até o maior dos corneteiros precisa ter mais paciência com Fábio Carille e com o elenco do Corinthians para 2019. 


Desde o começo do ano, o trabalho de Carille foi colocado sob o holofote. Afinal, quando saiu tinha levantado dois títulos em pouco mais de um ano. Voltou com status de grande treinador e, a partir daí, muitos esperavam que deixaria o time do Corinthians redondo em duas semanas de trabalho. Isso não aconteceu. Afinal, foram doze contratações e toda uma nova filosofia de jogo, com peças que não estavam nem no ano passado, muito menos com o comandante em 2017. 


Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Contra o Santos, o Corinthians fez o melhor primeiro tempo do ano.


Até agora, no entanto, nos maiores e mais importantes desafios, o time saiu vitorioso. Fez sete pontos de nove possíveis contra os rivais, classificou-se nos duelos da Copa do Brasil, além de conseguir um ótimo resultado contra o Racing pela Sul-Americana, eliminando o adversário mais forte do campeonato. O time não foi brilhante em momento nenhum, mas foi frio, decisivo e com cara de Corinthians. Isso se deve a todo um processo de adaptação do elenco e de um calendário bizarro que forçou o time a jogar 13 vezes em 40 dias.


No final das contas, derrotas contra times pequenos no Paulista pouco importam quando o resultado final começa a aparecer. Neste final de semana, o Corinthians foi cotado a ser "goleado pelo Santos", Carille teria suas "fragilidades expostas", mas quando o jogo começou - pasmem - o time não deixou o gênio Sampaoli colocar medo em ninguém. Foram mais de 40 minutos que o argentino esperneou nas laterais da Arena Corinthians ja que seus jogadores não conseguiam passar do meio do campo. A ausência do gol foi um detalhe.


Qual foi a novidade para o jogo? Uma semana inteira de preparação. Ou seja, algo que nosso querido, mas longe de ser perfeito, Carille, está fazendo, está dando muito certo. O time tem peças para evoluírem, mudanças para serem feitas no time titular, mas um jeito de jogar já foi encontrado. Agora cabe ao corinthiano apoiar e não dar motivos para crises inventadas no clube. Se não estou em um devaneio, o torcedor pode aguardar por muitas felicidades em 2019.


NÃO QUER PERDER NENHUM TEXTO? SIGA NO INSTAGRAM - @EPIDEMIA_BLOG